Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Operação Asafe

PF faz operação na casa de magistrados e escritórios

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em escritórios de advocacia e nas casas de seis magistrados de Mato Grosso, na manhã desta terça-feira (18/5), em operação denominada Asafe. Uma das casas em que a PF esteve foi a do desembargador aposentado, Donato Fortunato Ojeda, que passou mal. Ele está internado na UTI do Hospital Jardim Cuiabá, onde deve passar a noite.

A operação investiga prática de exploração de prestígio, corrupção ativa e passiva e formação de quadrilha para venda de sentença. Foram expedidos 9 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão pela ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça.

Na manhã desta terça-feira, a PF cumpriu mandado de prisão contra o empresário e estudante de Direito em Cuiabá, Claudio Emanuel Camargo. Ele estava em Campos do Jordão (SP) e foi encaminhado pela PF para Cuiabá para prestar depoimento. Claudio Emanuel Camargo é genro de José Tadeu Cury, desembargador aposentado compulsoriamente pelo CNJ. A advogada Célia Cury (mulher de José Tadeu Cury) e o advogado Rodrigo Vieira (genro de José Tadeu Cury) também tiveram as prisões decretadas.

Foram expedidos mandados de prisão ainda contra Jarbas Nascimento (ex-chefe de gabinete de Tadeu Cury), Alcenor Alves (advogado e ex-prefeito de Alto Paraguai), Santos de Souza Ribeiro (advogado), Max Weize Mendonça (advogado foragido) e uma mulher, que não teve o nome divulgado.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em escritórios de advocacia e nas casas de Eduardo Jacob (juiz do TRE-MT), José Tadeu Cury (desembargador aposentado compulsoriamente pelo CNJ), Ciro Miotto (juiz auxiliar do TJ-MT), José Luiz de Carvalho (desembargador do TJ-MT) e Evandro Stábile (desembargador do TJ-MT e presidente do TRE), segundo o site Olhar Direto.

Nos escritórios dos advogados Renato Viana, Eduardo Gomes e André Castrilo foram cumpridos mandados de busca e apreensão. Também foram apreendidos documentos com a ex-servidora do TJ de Mato Grosso, Rosana Ramires. Ela foi assessora do gabinete do desembargador aposentado compulsoriamente, José Tadeu Cury.

Revista Consultor Jurídico, 18 de maio de 2010, 16h03

Comentários de leitores

6 comentários

JA ERA TEMPO

tufo (Advogado Autônomo - Previdenciária)

So tenho duas coisas a dizer: "que maravilha!!! Até que enfim!!!"

Será mais uma?

olhovivo (Outros)

Tomara que essa dita "operação" - que nada mais é que simples cumprimento de mandados judiciais - não seja igual àquelas outras (Têmis, Anaconda etc.): muito oba-oba, pirotecnia, subversão de conversas telefônicas e criações mentais.

Operação Circence e isonomia

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

O ilustre professor universotário que me antecede nos comentários, provavelmente advogado, Habib Tamer Badião, podia explicar como deve ser uma operação policial não circence. Podia também esclarecer como sabia que a "a coisa tava muito escancarada" e que o judiciário de MT fora transformado em "balcão de negócios". Seria só no Mato Grosso? Tem notícia de outros fatos típicos dessa natureza lá e acolá?
Como no dito popular: quem não deve não teme e não se pode atingir aquilo que não existe: honra e dignidade daqueles que servem-se da investidura para práticas criminosas. E tome de esordil pois os desembargador afastado pelo CNJ acreditava na impunidade devido a imunidade da LOMAM, igual advogado que privatiza o munus público.
Haja vista a isonomia constitucional, só falta prenderem aqueles que compraram e pagaram pelas sentenças, bem como anular com novo julgamento.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 26/05/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.