Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Poder feminino

TJ-RJ recebe primeira desembargadora pelo quinto

A nova desembargadora Maria Regina Alves ladeada por seus padrinhos, os também desembargadores Luiz Felipe Miranda Francisco e Milton Fernandes de Souza, durante a cerimônia de posse - TJ - RJA advogada Maria Regina Fonseca Nova Alves é a mais nova desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Ela tomou posse, nesta terça-feira (19/4), no plenário do Órgão Especial, na vaga do desembargador Celso Muniz Guedes Pinto, que se aposentou. Ela foi escolhida pelo governador Sérgio Cabral Filho, no dia 13, entre três indicados de uma lista tríplice. É a primeira mulher a integrar o TJ na vaga destinada à OAB-RJ pelo quinto constitucional.

O presidente do TJ-RJ, desembargador Luiz Zveiter, abriu a cerimônia de posse. Em seguida, a nova desembargadora foi convidada pelos seus padrinhos, os desembargadores Milton Fernandes de Souza e Luiz Felipe Miranda de Medeiros Francisco, a entrar no plenário para a investidura no cargo. Após a lavratura do ato de posse, foi a vez da desembargadora Leila Mariano, diretora-geral do Centro de Estudos e Debates do Tribunal (CEDES), saudar, em nome de todo o Poder Judiciário fluminense, a nova colega.

“Sua excelência chega após uma bela disputa na OAB. E é a primeira advogada a integrar o Quinto Constitucional deste Tribunal. Tenho a certeza de que se sentirá em Casa, porque luta e engajamento em questões sociais sempre fizeram parte de seu currículo, desde os 17 anos de idade, quando ingressou na faculdade. Estamos ganhando uma julgadora de muitos desafios que não se limita apenas a ser a ‘boca da lei’ e que jamais ultrapassou os limites do respeito e da honestidade. Receba, portanto, os nossos afetos”, afirmou a desembargadora Leila Mariano.

Logo depois, também desejaram felicidades pelo novo cargo o vice-presidente da OAB-RJ Sérgio Eduardo Fischer. Ele representou o presidente da entidade, Wadih Damous, e disse que a OAB e o Tribunal de Justiça do Rio cumpriram suas tarefas, cada um à sua maneira, com o envio de listas sêxtuplas e tríplices para a escolha da nova desembargadora. Elogio semelhante fez o representante do Ministério Público, o subprocurador-geral de Justiça Elias Erthal, que também desejou boa sorte à desembargadora Maria Regina na nova carreira que agora abraçará.

Maria Regina é advogada há 34 anos e especialista em Direito de Família. Na ocasião da disputa pelo cargo, obteve 101 votos, contra 97 de André Emilio Ribeiro Von Melentovytch e 92 de Claudia Telles de Menezes. Em seu discurso de posse, disse que, desde criança, sentiu o desejo de seguir a advocacia e aos 17 anos ingressou na faculdade, tendo aos 22 anos recebido a sua carteira de advogada. “Estou aqui hoje realizando um segundo desejo profissional, que é o de me integrar a esta Casa. Exercerei a nova função com o mesmo sentido de responsabilidade e honestidade”, afirmou.

O presidente do TJ do Rio, Luiz Zveiter, disse ser um homem afortunado por estar participando de momentos tão especiais dentro do Tribunal, como a posse passada do desembargador Paulo Rangel e, agora, a de uma mulher vinda do quinto constitucional pela OAB. Para ele, a desembargadora Maria Regina será mais um elo na corrente de solidariedade de um Poder Judiciário que tem pregado pela ética humana e por uma Justiça maior junto à população que a procura. ”Seja feliz nesta nova etapa de sua vida”, enfatizou Zveiter.

Também estiveram presentes à solenidade o subprocurador-geral do estado Sérgio Eduardo Santos, representando o governador Sérgio Cabral Filho; o diretor-geral da Escola da Magistratura do Estado (Emerj), desembargador Manoel Rebêlo dos Santos; o segundo vice-presidente do TJ-RJ, desembargador Sergio de Souza Verani; o vice-presidente de Comunicação da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), desembargador Cláudio Dell’Orto, entre outras autoridades do Judiciário do Rio. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ.

Foto: TJ do Rio

Revista Consultor Jurídico, 20 de abril de 2010, 15h47

Comentários de leitores

1 comentário

A Oliveira do grupelho Outros

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Data venia, como naquele antigo Rock&Roll:....e eu me mordo de ciúmes.
Outros quem Oliveira, saia das sombras, seja homem tenha coragem cite fatos, aponte provas até porque constitucional eventual exceção da verdade.
Riso de escárnio de quem, do Dr. Wadih Damous que representa os interessas do Banco do Brasil a quem serve subservientemente a anos? Cadê as provas das gravíssimas acusações feitas na campanha de 2006 contra seu antecessor aqui de Niterói?
Os cães ladram e a caravana passa. O Presidente atual vai fazer sucessor mais fácil do que Lula eleger Dilma.
Tudo que se faz com amor vai sempre alem do bem e do mal. Nieztche. O que não é seu caso e do grupo (bando?) que representa, que destila ódio. Cuidado para não morder a lingua! Risos, digo gargalhadas, convulsivas....

Comentários encerrados em 28/04/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.