Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Recuperação e Falências

Cinco anos de lei de falência é tema de debate em SP

O Instituto Nacional de Recuperação Empresarial promove, de 10 a 12 de junho, o Congresso Internacional de Direito Empresarial que terá como tema os cinco anos da Lei de Recuperação e Falências. O instituto reunirá as 40 maiores autoridades na área do direito empresarial e concursal do Brasil e exterior, além de especialistas em recuperação de empresas.

O evento acontecerá em São Paulo com o apoio do Tribunal de Justiça de São Paulo, da Escola Paulista da Magistratura e da Associação Paulista de Magistrados. Durante os três dias, serão abordados assuntos como credores e devedores na recuperação, a Lei de Recuperação e Falência e o novo Código de Processo Civil. As inscrições podem ser feitas pela internet. Clique aqui e leia a programação completa.

Veja os temas:
—O STJ e a Lei de Recuperação e Falência
—Os cinco anos de vigência da Lei de Recuperação e Falência
—Os credores e devedores na recuperação
—O Direito Concorrencial Moderno e o Direito Societário. Proteção às minorias
—O Processo Civil Moderno – Aspectos atuais de Reforma do CPC
—O novo CPC e a Lei de Recuperação e Falência
—A crise no campo e o agronegócio
—As empresas em crise e o CADE
—A retomada do crescimento na economia brasileira
—A capitalização das empresas no mundo em crise
—A visão brasileira, norte-americana, alemã, argentina, francesa e inglesa quanto a condução de complexos casos de recuperação judicial e de falências nacionais e multijurisdicionais. Fatores críticos de sucesso
—Cooperação, comunicação direta e coordenação de casos envolvendo as Cortes de Justiça de diferentes países.
—O Direito Internacional e a crise da empresa
—Sigilo Fiscal e Bancário na Visão do STF

Serviço:
Congresso Internacional de Direito Empresarial
Data: de 10 a 12 junho
Local: Hotel Sofitel, Rua Sena Madureira, 1355 — São Paulo, SP
Informações: Thauana Scarabello / 11 3073.0362 tscarabello@inre.com.br

Revista Consultor Jurídico, 16 de abril de 2010, 13h11

Comentários de leitores

1 comentário

convidaram os lesados da VARIG ? seria de bom tom!

hammer eduardo (Consultor)

Essa conhecida "lei de falencia" se constitui na mais espetacular fraude perpetrada pela quadrilha petralha durante os ultimos anos. Travestiram de "muderna" essa lei calhorda que beneficia unica e exclusivamente o CAPITAL , o trabalho foi para as calendas conforme sentiram na pele os humilhados Funcionarios da falecida Varig ( convem lembrar que "isto" que anda por ai fantasiada de Varig , é uma fraude viva que herdou apenas o nome). No mais espetacular ato de arbitrariedade que por sinal nem os Milicos na epoca da "redentora" ousaram praticar , os ditos "mudernistas" engessaram as Leis trabalhistas para que o filé mignon fosse repassado limpinho para os "espertos da hora" , devidamente auxiliados pelo "dever de casa" praticado pela quadrilha do zezinho dirceu que transformaram Brasilia no maior centro de negociatas do Brasil. A laçada final da bandalheira foi dada pelo eterno "cumpadi" do 9 dedos que é o famoso roberto teixeira, figurinha carimbada nestas mamatas desde os tempos da tambem falecida Transbrasil. A famosa foto "flagra" dele subindo no elevador privativo do Planalto com a "famiglia" Constantino é digna de um premio Esso de jornalismo. Para completar o verdadeiro "genocidio trabalhista" contra os Funcionarios , o des-governo do 9 dedos se fez de morto e enrolou ate hoje o processo de reparação das perdas tarifarias o que teria salvado tanto a Varig quanto o Aerus que naufragou em seguida. Resumo da opera : os Funcionarios da velha-Varig ficaram sem emprego e sem fundo de pensão , quem podia continuar trabalhando se virou mas outros nem isso puderam fazer e hoje morrem como moscas. Esta NOJENTA "pseudo-mudernidade" é mais um fruto do ventre apodrecido desta corja petralha que atrasa o Brasil. Que nojo senhores , que nojo!

Comentários encerrados em 24/04/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.