Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Versão contada

Mãe de Isabella Nardoni tenta impedir venda de livro

Ana Carolina Oliveira, mãe da menina Isabella Nardoni, que foi morta em 29 de março de 2008, está pedindo para a Justiça retirar do mercado e impedir qualquer publicação nova do livro Isabella. De acordo com o portal G1, o livro foi publicado em junho deste ano, no Rio Grande do Sul, e já teve 10 mil cópias vendidas. A obra discorda da versão de assassinato apresentada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público.

A versão apresentada no livro inocenta o casal Nardoni e defende a tese de acidente doméstico para explicar a morte da menina. De acordo Cristina Christo, advogada de Ana Carolina Oliveira, a ação foi enviada ao Fórum Regional de Santana, em São Paulo, nessa terça-feira (29/9).

A ação é contra o autor do livro, o escritor e médico gaúcho Paulo Papandreu, e a editora e gráfica Pallotti, de Santa Maria (RS), que fez a impressão do material. Um juiz será designado para analisar o pedido. Caso sejam condenados, o juiz irá estipular o valor da indenização para a mãe de Isabella.

Para a Polícia Civil de São Paulo e o Ministério Público, Isabella foi vítima de homicídio e os assassinos são Alexandre Nardoni, seu pai, e Anna Jatobá, sua madrasta. Eles teriam matado a menina após uma discussão. O casal nega e afirma que a menina foi assassinada por um assaltante. O promotor Francisco Cembranelli, no entanto, discorda. Para ele, Jatobá esganou a enteada e Alexandre a jogou pela janela. Denunciados à Justiça, os dois estão presos preventivamente e devem ir a júri popular em 2010.

Revista Consultor Jurídico, 30 de setembro de 2009, 18h22

Comentários de leitores

1 comentário

É o fim da picada!

Roland Freisler (Advogado Autônomo)

É o fim da picada. Nesse país ninguém pode escrever um livro falando de outrém sem se incomodar: é o Ruy Castro com a família do Garrincha, é o outro com a biografia do Roberto Carlos e assim por diante. Como disse, creio que Ruy Castro, só se pode escrever sobre solteiros, sem filho e broxa.

Comentários encerrados em 08/10/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.