Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Controvérsia policial

ADPF diz que não vai criar Ordem dos Policiais do Brasil

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) enviou nota de esclarecimento à revista Consultor Jurídico em que contesta os termos da reportagem  Policiais prometem criar Ordem dos Policiais do Brasil, publicada nesta segunda-feira (28/9).

De acordo com o texto publicado, policiais federais, rodoviários federais, civis e militares do país, anunciariam a criação da Ordem dos Policiais do Brasil (OPB), entidade que pretende fazer para a polícia o que a OAB faz para a advocacia. Segundo o fundador da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) Francisco Carlos Garisto, citado na reportgem como o mentor da nova ordem, a votação para a diretoria do novo órgão ocorre no dia 30 de outubro e a expectativa é que um milhão de policiais de todo o país se filiem à OPB.

O texto dava conta, ainda, que o anúncio da OPB seria feito em meio à greve geral da Polícia Federal, marcada em todo o Brasil também para esta quarta-feira (30/9). A greve é comandada pela Fenapef, a Federação Nacional dos Policiais Federais, uma entidade que congrega 13 mil policiais federais em todo o Brasil.

De acordo com a nota de esclarecimento da ADPF, em conjunto com as demais entidades classistas da Polícia Federal, ela promove ato público em apoio à solução encontrada pelo Ministéri oda Justiça para os Policiais Federais da terceira classe aprovados no concurso de 2004. O movimento será uma forma de demonstrar aprovação à proposta do Ministério da Justiça e submetida ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

A ADPF ressaltou ainda que Delegados de Polícia Federal e outras categorias da PF são contrários à criação de mais uma entidade representativa. A entidade esclareceu que não aderiu a nenhuma “greve geral”, mas, sim, à paralisação em apoio a iniciativa do Ministro da Justiça em encaminhar a solução encontrada para os policiais federais da 3ª classe, em sintonia com o que foi defendido pelas entidades representativas de classe dos policiais federais. Com informações da Assessoria de Imprensa da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.
Clique aqui para ler a nota da ADPF.

Revista Consultor Jurídico, 29 de setembro de 2009, 12h54

Comentários de leitores

1 comentário

QUE PENA

puzzle (Outros)

Eu já estava crente que esta nova ORDEM iria participara das bancas de todos os concursos jurídicos e que teria direito a indicar seus integrantes para o quinto constitucional.
Enquanto não sai o quinto, esse Garisto aí podia ser indicado para a vaga do Eros Grau no STF, quiça para esta vaga do Toffoli se não for aprovado.
É cada uma!

Comentários encerrados em 07/10/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.