Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

A serviço do crime

Mantida prisão de PM acusado de integrar milícia

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Cesar Asfor Rocha, negou liminar em Habeas Corpus a um policial militar do Rio de Janeiro acusado de homicídio e pagamento de testemunha. O pedido de liberdade apresentado pela defesa do preso estava mal instruído, sem a cópia de documentos essenciais para a sua análise, segundo Asfor Rocha. O mérito do pedido de Habeas Corpus será apreciado pela 6ª Turma.

O policial é apontado pelo Ministério Público como integrante de milícia em favelas do subúrbio do Rio de Janeiro. Em fevereiro do ano passado, ele foi acusado de assassinar a coronhadas, pauladas e chutes José Alexandre da Silva Eugênio. O motivo seria o fato de a vítima concorrer com o policial na venda de drogas na região.

Baseado em interceptações telefônicas, o MP apurou que o policial ofereceu dinheiro a uma das testemunhas para que alterasse seu depoimento sobre o crime. A prisão preventiva do policial foi decretada no final de 2008 para a garantia da ordem pública e o sucesso da instrução do processo. O policial tem outras anotações por crimes graves, como homicídio, extorsão, porte de arma e formação de quadrilha.

HC 126.509

Revista Consultor Jurídico, 29 de janeiro de 2009, 11h16

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/02/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.