Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Provas suficientes

MPF insiste em ação contra José Dirce por improbidade

O Ministério Público Federal do Distrito Federal apelou ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região para que seja desarquivada a ação em que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu é acusado de ter enviado verbas federais para ajudar na campanha política de seu filho, Zeca Dirceu. A ação foi extinta pela 15ª Vara da Justiça Federal no DF, sem o julgamento do mérito por falta de provas. O MPF alega que há provas suficientes.

De acordo com o MPF, o ex-ministro enviava verbas para a região de Entre Rios (PR), cidade próxima à base política de seu filho Zeca Dirceu, que concorria a prefeitura de Cruzeiro do Oeste. O ex-assessor da Casa Waldomiro Diniz auxiliava as ações, diz o MPF. “O Ministério Público Federal, ao contrário do que sustentado pelo juiz sentenciante, apresentou, juntamente com a inicial, provas robustas dos fatos ali deduzidos”, afirmou a procuradora da República Anna Paula Coutinho.

Entre as provas, estão a agenda da Subchefia de Assuntos Parlamentares da Casa Civil; uma planilha elaborada pela Fundação Nacional de Saúde que indicam emendas parlamentares que tiveram como “padrinho” Zeca Dirceu; e depoimentos de servidores da Casa e prefeitos de municípios beneficiados.

A acusação alega que, com a ajuda do pai e de Waldomiro Diniz, Zeca intermediou a liberação de recursos federais para os municípios administrados nas redondezas de Cruzeiro do Oeste. Ele viabilizou recursos públicos para aqueles municípios em ministérios e órgãos federais.  Como troca, recebia o apoio político para vencer a eleição, diz o MPF.

Na apelação, o Ministério público Federal pede a condenação dos envolvidos a perda do cargo público, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa e proibição de contratar com o poder público.

Revista Consultor Jurídico, 28 de janeiro de 2009, 21h37

Comentários de leitores

3 comentários

ZÉ DIRCEU CUMPANHERO

Cláudio (Estagiário)

JÁ DEVERIA TER SIDO JULGADO E CONDENADO HÁ MUITO TEMPO.

O Zé é a "EMINÊNCIA PARDA" deste governo ! ! !

A.G. Moreira (Consultor)

O "zé dirceu" ser julgado e condenado ? ? ?
Isso não pode ! ! !
Ele é o único "cumpanheiro" inteligente, que continua "governando" e dando ordens, ainda que na "penumbra ! ! !

IMPUNIDADE

Zito (Consultor)

Mais um um para o rol da IMPUNIDADE.

Comentários encerrados em 05/02/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.