Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Promessa cumprida

Barack Obama decreta fim da prisão de Guantánamo

Guantánamo - amnestyusa.orgO presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou, nesta quinta-feira (22/1), decreto que estabelece o fechamento da prisão de Guantánamo em um ano. Ele também ordenou o fim de duros interrogatórios. Criada no governo George W. Bush em 2002, a prisão, localizada em uma base naval em Cuba, era usada para manter prisioneiros sem uma acusação formal de terrorismo.

Obama determinou ainda que a Agência Central de Inteligência (CIA) feche todas as prisões secretas dos EUA. O decreto, um dos primeiros passos para desmontar as políticas prisionais de Bush, deve ser o caminho para mudar as leis sobre a prisão de suspeitos de terrorismo. O presidente impôs que os Estados Unidos se adaptem à Convenção de Genebra sobre as prisões.

A ordem pede a revisão imediata dos processos dos 248 presos mantidos na base naval em Cuba, e determinará se eles serão transferidos, libertados ou julgados. Os tribunais de exceção para julgar foram criados em 2006.

Em seu segundo dia como presidente, Obama cumpre uma das promessas de campanha. A prisão se tornou uma mancha para o histórico de direitos humanos dos Estados Unidos e um símbolo de abuso contra presos sob a administração de Bush.

Obama assinou o decreto na Sala Oval, cercado de militares e funcionários, após uma reunião em que debateu a política de interrogatório e de detenção de pessoas suspeitas de terrorismo.

"O centro de detenção de Guantánamo objeto desta ordem será fechado o mais rápido possível e, no mais tardar, no prazo de um ano a partir dessa data", diz um rascunho da ordem executiva, divulgado no site da associação American Civil Liberties Union (ACLU). A agência France Press confirmou o conteúdo com uma fonte da Casa Branca — Clique aqui para ler em inglês.

A notícia do projeto foi revelada um dia depois de Obama pedir a suspensão durante 120 dias dos julgamentos que acontecem em Guantánamo, com o objetivo de permitir a revisão das políticas e condições de detenção na prisão.

O presidente da OAB, Cezar Britto, considerou "uma vitória da civilização" a decisão de Barack Obama. "A OAB se associa aos democratas de todo o mundo por esse gesto histórico, de profunda significação moral, do presidente norte-americano, na expectativa de que, em nosso país, tenha reflexos efetivos no coração, na mente e nos atos dos responsáveis por operações em defesa da lei e da segurança pública", afirmou em nota.

Para ele, a ordem não enfraquece o combate ao terror e ao crime. “Ao contrário, fortalece moralmente esse combate, que não cessará. Ao despojar-se de meios ilícitos para empreendê-lo, os Estados Unidos recuperam alianças e apoio da opinião pública internacional, impedindo que réus se transformem em vítimas, pela supressão de direitos humanos elementares”, diz Britto.

Foto do texto: Amnestyusa.org
Foto da capa: whitehouse.gov

Revista Consultor Jurídico, 22 de janeiro de 2009, 16h44

Comentários de leitores

3 comentários

Obama, OAB,e blá,blá,bla

Mig77 (Publicitário)

Vai fechar Guantánamo?.Que bom!!Não conseguiram estragar a maravilhosa musica cubana.Muito bem Obama.
Agora a OAB puxar o saco do Obama e falar em democracia é demais.Fale do Guantánamo daqui, a Justiça do Trabalho, que é o que nos afasta mais do progresso, honestidade e decência que são pilares dos EUA.Poupe-nos OAB.Picaretagem lá é crime.E grave.Reduza-se à sua insignificância e pare de falar em democrácia e decência.Seus associados, são responsáveis em grande parte pela formação de gerações de cafajestes que se apoderam do que não lhes pertence, e tem na Justiça do Trabalho o seu quartel general, com o consentimento e conivência desta sociedade, em grande parte usuária dessa vergonha.
O Guantánamo deles está quase resolvido!!.O nosso, não!!.

Guantánamo é território cubano

Armando do Prado (Professor)

Para Obama passar à História como os pais dos EUA, precisa devolver esse território aos verdadeiros donos: Cuba.

Terá o mesmo destino de Kennedy??

Ramiro. (Advogado Autônomo)

A opinião não é minha, foi comentário há algum tempo que ouvi de um experiente jornalista.
"...Kennedy bateu de frente com a CIA e outras forças nos EUA, e como era macho, a única maneira de acabar com um sujeito macho é matando...".
Tirando as ideologias de lado, fatos. A família Bush, George Bush, o pai, foi por anos diretor da CIA e esteve envolvido em casos polêmicos como Irã-Contras da Nicarágua.
Convém calmamente esperar, só o tempo dirá o que é marketing de primeiro momento e o que é mudança de rumos e enfrentamentos internos. Agora é óbvio ululante, Obama governa os EUA para os EUA, e será interessante analisar a política do novo Presidente dos EUA em relação à prioridade da pesquisa científica, ciência de ponta, área que particularmente me parece das mais sensíveis e vitais para os EUA e longe de ser no campo militar, e sim no domínio da ciência de ponta que o Governo Bush deixou os EUA mais enfraquecido, e é a batalha que não pode ser perdida, pois derrotada neste campo a URSS pagou o preço de ser extinta.

Comentários encerrados em 30/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.