Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novo presidente

Barack Obama toma posse na presidência dos EUA

Barack Obama - por whitehouse.govBarack Hussein Obama, de 47 anos, tornou-se o 44º presidente dos Estados Unidos, na tarde desta terça-feira (20/1). Seu discurso de posse foi acompanhado por milhares de pessoas em Washington e de milhões pela televisão.

Obama prestou juramento às 12h06 (15h06 de Brasília) com a mão sobre a mesma Bíblia usada em 1861 por Abraham Lincoln, em frente ao Capitólio, sede do Legislativo federal. Ele repetiu o texto previsto na Constituição: “Eu, Barack Hussein Obama, juro solenemente cumprir fielmente as funções de presidente dos Estados Unidos e, na medida de minhas possibilidades, salvaguardar, proteger e defender a Constituição Estados Unidos".

As palavras foram ditas ao presidente da Suprema Corte do país, John Roberts. Ele finalizou o juramento com a frase: “Com ajuda de Deus”, dita pelos presidentes do país desde o século XVIII. A chegada de Obama ao poder é considerada histórica.

Em seu discurso, Obama, que é formado em Direito, defendeu a Constituição do país. “Quanto à nossa defesa comum, rejeitamos como falsa a escolha entre nossa segurança e nossos ideais. Nossos pais fundadores, diante de perigos que mal conseguimos imaginar, elaboraram uma carta para assegurar o império da lei e os direitos do homem, uma carta difundida pelo sangue de gerações. Esses ideais ainda iluminam o mundo, e não vamos abandoná-los em nome da praticidade”, afirmou.

No entanto, Obama enviou uma mensagem aos terroristas que ameaçam o país. “Nós não vamos pedir desculpas por nosso estilo de vida nem vamos hesitar em defendê-lo. E, para aqueles que buscam aumentar seus alvos induzindo terror e assassinando inocentes, dizemos a vocês, agora, que nosso espírito é mais forte e não pode ser quebrado. Vocês não irão nos ultrapassar, e nós os derrotaremos.”

Ele lembrou a crise econômica que o país vive. "A esperança de mudar superou o medo. Sabemos da gravidade da crise, pois vemos a situação que vivemos, com milhares de empregos perdidos. Mas juntos conseguiremos sair dessa crise", afirmou Obama.

"Hoje eu digo que os desafios que encaramos são reais. Eles são sérios e eles são muitos. Eles não vão ser vencidos facilmente, ou em um curto período de tempo. Mas sei disso, América, eles vão ser vencidos", disse.

O presidente afirmou que a jornada dos Estados Unidos não foi feita de atalhos e exaltou os esforços dos americanos que foram os fundadores do país. Ele citou a batalha de Gettysburg, fundamental para o fim da Guerra de Secessão, no século XIX, e afirmou que é preciso recomeçar o trabalho de reconstruir os Estados Unidos.

Barack Hussein Obama nasceu em Honolulu, Havaí, em 4 de agosto de 1961. Ele é formado em Ciências Políticas pela Universidade Columbia em Nova York e em Direito na Universidade de Harvard. Foi presidente da revista Harvard Law Review. Obama atuou como líder comunitário e como advogado na defesa de direitos civis até que, em 1996, foi eleito ao Senado de Illinois, mandato para o qual foi reeleito em 2000. Entre 1992 e 2004, ensinou direito constitucional na escola de direito da Universidade de Chicago. Foi eleito senador em 2004 e presidente em 2008.

Foto: White House

Leia o discurso traduzido pela revista Época

Meus compatriotas,

Aqui me encontro hoje humilde diante da tarefa diante de nós, agradecido pela confiança depositada por vocês, atento aos sacrifícios feitos por nossos ancestrais. Agradeço ao presidente Bush pelos seus serviços a esta nação, assim como pela generosidade e pela cooperação mostradas durante esta transição.

Quarenta e quatro americanos, até hoje, prestaram o juramento presidencial. Suas palavras foram ditas durante a maré ascendente da prosperidade e nas águas calmas da paz. Mas frequentemente o juramento é prestado em meio a nuvens crescentes e tempestades ruidosas. Nestes momentos a América foi em frente não apenas graças ao talento e à visão daqueles no poder, mas porque nós, o povo, permanecemos fiéis aos ideais de nossos antecessores e aos nossos documentos fundadores.

Foi assim e deve ser assim com esta geração de americanos.

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

Revista Consultor Jurídico, 20 de janeiro de 2009, 17h38

Comentários de leitores

4 comentários

ARMAS, UMA BOLA DE NEVE

Sargento Brasil (Policial Militar)

ARMAS, UMA BOLA DE NEVE.
A violência no mundo intimida todos os países, que no receio de serem invadidos ou atacados, sentem a ‘’necessidade’’ de se armar o mais potencialmente possível, inclusive, para mostrar aos demais, que estão capacitados e equipados para se defender, (ostentabilidade bélica), todos com a mesma intenção, fazem o mesmo. Sucessivamente, o planeta se torna um arsenal imenso, não só de armas convencionais, como também as químicas e nucleares e assim, maiores e mais potentes artefatos bélicos são criados e fabricados, com poder de destruição cada vez maior. Acompanha essa marcha, o aparecimento de novas drogas, também de maiores efeitos a se transformar o Sistema Nervoso Central do ser humano cada vez mais debilitado, quase que automatizado para a prática de atos de destruição e crueldade. pois o homem não consegue em sã consciência, produzir tantas mortes de uma só vez, de pessoas que nunca viram, principalmente quando sabem tratar-se de enfermos, velhos e crianças, as suas vítimas.
Cresce de maneira assustadora esse estado de coisas. Consequentemente, nasce na mente humana a ilusão do querer cada vez mais subjugar e a vaidade militar de ‘’mandar e nunca obedecer’’ pela posse do enorme arsenal de material destrutivo. Daí o caos. Estaremos nos protegendo com tantos armamentos ou apenas construindo a destruição do nosso planeta? Comenta-se sobre a poluição do planeta, mas, qual veículo de comunicação tem a coragem de mensurar o quanto polui uma só bomba utilizada nas guerras de hoje, alguém já viu nos noticiários algo à respeito? No meu entender devemos pensar nisso seriamente. Caso contrário o dirito da força se sobvreporá à força do direito, por toda a Terra. É isto.

O mundo festeja a SAIDA do causador da crise ! ! !

A.G. Moreira (Consultor)

O povo americano e o mundo estão festejando, muito mais, a SAIDA do "perturbado" que sai do que as qualificações e garantias de sucesso daquele que ENTRA ! ! !
Aliás, quem nunca "governou coisa nenhuma", nem a sua própria vida, não tem capacidade para governar o país que é a "bússula" do mundo ! ! !
Essa estória de ele estar, bem assessorado, não vai facilitar ou até permitir que ele cumpra as suas promessas de campanha e de posse ! ! !
Por outro lado, ser branco ou negro, não faz com que a desgraça que assola os EE.UU. (e o mundo por "tabela"), se esvaia e , muito menos, palavras e discursos agradáveis nunca foram solução ! ! !
Até porque a crise, agora internacional, não foi provocada por problemas raciais ! ! !

Esperança e Medo

acdinamarco (Advogado Autônomo - Criminal)

Já ouvi esta duas palavras em discurso de posse. Pobre povo americano !
acdinamarco@aasp.org.br

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.