Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Falta de compromisso

Advogado de ex-cirurgião plástico abandona defesa

O advogado Antônio Arantes de Paiva decidiu abandonar o caso do ex-cirurgião plástico Hosmany Ramos. Segundo o advogado, seu ex-cliente não cumpriu o compromisso que tinha com ele. Condenado a 43 anos de prisão pelos crimes de homicídio, sequestro, roubo e tráfico de drogas, o ex-cirurgião plástico estava cumprindo pena em regime semi-aberto. Após sair no Natal, Ramos não voltou à penitenciária e é considerado foragido. As informações são do G1.

“Ao conversar por telefone, ele havia dito que se entregaria ontem [quinta-feira]. Na quarta, porém, disse que não se entregaria mais”, afirmou o advogado. Segundo Paiva, o ex-cirurgião o induziu a erro.

Hosmany Ramos afirmou que a justificativa para não voltar à prisão é chamar a atenção para os problemas prisionais, como superlotação e más condições sanitárias. No início do mês, divulgou um manifesto sobre os problemas.

Para o advogado, seu ex-cliente já conseguiu atingir o objetivo. “Eu disse a ele: venha e se entregue. Você já denunciou, chamou a atenção”. Como Hosmany não se entregou, o advogado considerou o acordo descumprido e decidiu abandonar o caso. “O cliente tem de se submeter ao compromisso com o defensor”, observa.

O advogado afirmou, ainda, que já comunicou ao juiz sua saída e que, se houver algum problema com Hosmany Ramos, para que a Defensoria Pública fosse informada.

Ramos cumpria pena na Penitenciária de Valparaíso. Segundo ele, já foram cumpridos 26 anos. Como não voltou ao sistema na data certa, após o Natal, pode ser punido com o retorno ao regime fechado.

Revista Consultor Jurídico, 16 de janeiro de 2009, 17h37

Comentários de leitores

1 comentário

Caso Hosmany.

Zerlottini (Outros)

Esse caso já deve ter uns "trocentos" anos, não? Já passou da hora de acabaar com esse negócio de preso ter "férias". Preso é preso - e tem de ficar "guardado", pelo bem dos homens honestos do país (é verdade que são bem poucos, mas os há).
Só falta agora dar férias aos presos no Dia das Crianças, Dia dos Namorados, Dia da Lavagem do Bonfim, dia de São João, etc. Como dizia o Stanislau Ponte Preta, "passarinho que come pedra sabe o que lhe advém". Quem comete um delito sabe o que lhe acontecerá (ou, pelo menos, deveria acontecer, se fosse um país sério, com uma "justiça" séria).
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Comentários encerrados em 24/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.