Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conjur 4.0

ConJur estreia visual e ferramentas mais ágeis

Por 

A revista eletrônica Consultor Jurídico traz a seus leitores, neste 10 de janeiro de 2009, uma nova apresentação visual com recursos tecnológicos para facilitar o acesso, a navegação e a leitura do site.

Em quase 12 anos de existência, a ConJur sempre se preocupou mais com o conteúdo do que com a forma. A opção se mostrou acertada. A fórmula de tratar a informação jurídica, valorizando a tese sobre o fato concreto, fez com que a revista ganhasse um lugar diferenciado no mercado editorial e na preferência dos leitores.

A ConJur entra em 2009 com uma audiência média de 38 mil leitores diários (50 mil, considerada a audiência apenas dos dias úteis). Em 2008, o site recebeu 15 milhões de visitas de 5 milhões de visitantes diferentes que acessaram 30 milhões de páginas. Os dados, do Google Analytics, informam ainda que o site é consultado regularmente em mais de cem países no mundo.

Os números se referem a um público seleto e privilegiado: 79% dos leitores cadastrados são das classes A e B; 44% são advogados; outros 44% são operadores da Justiça, empresários, executivos, profissionais liberais, estudantes e estudiosos. Os dados do cadastro dão outras informações sobre os leitores: 65% são homens e 73% têm entre 26 e 50 anos.

A reforma
Esta é a quarta reforma gráfica pela qual passa o site. Em todas elas, a preocupação foi a de proporcionar mais facilidades para o leitor, com a incorporação de novas tecnologias que dessem mais dinâmica à consulta. Assim é que o site passa a usar, com mais generosidade, ilustrações e fotos, bem como tabelas e gráficos, para facilitar a leitura e melhorar a compreensão.

O site resolve um antigo problema e paga uma velha dívida com seus leitores ao dispor, agora, de uma ferramenta de busca tão eficiente quanto as melhores da internet. Agora, para localizar um texto entre os mais de 70 mil que compõem o banco de dados da Conjur, basta preencher o campo de busca com uma ou mais palavras chaves e clicar no ícone “buscar”. Com a busca avançada é possível ainda associar palavras e fazer pesquisa por autor, seção, tipo de texto ou data de publicação da notícia.

Esta nova versão oferece também melhores possibilidades de navegação: depois de clicar no ícone “seções”, o leitor poderá chegar ao texto que lhe interessar de acordo com a área do Direito (administrativo, ambiental, criminal, etc), setor da comunidade (advocacia, Ministério Público, Judiciário, etc) ou tipo de texto (notícia, artigo, entrevista, etc) a que ele se refere.

A divisão temática possibilita ao leitor fixar-se diretamente na sua área de interesse, caso não pretenda saber, em determinada situação, o que ocorre em outros campos do Direito e da Justiça.

Por uma questão de segurança, os comentários passam a ser moderados por amostragem. Por isso mesmo, o primeiro comentário de cada leitor a partir desta data, somente será publicado no site depois que o moderador conferir os dados que identificam o seu autor. Embora o uso de pseudônimo continue sendo permitido, será necessário que o comentarista preencha corretamente todos os campos do formulário do cadastro para ter direito a fazer comentários. .

Também foram reformuladas a seção de Eventos e a Loja ConJur, que além de facilitar a localização das melhores ofertas de livros jurídicos do país, passa a permitir o pagamento das compras com todos os cartões de crédito, boleto e transferência bancária, através do PagSeguro, do UOL.

Outra novidade é que a configuração das páginas do site foi feita para facilitar a leitura pelos programas que dão apoio às pessoas portadoras de deficiência visual.

Deve-se ao engenheiro de computação Iúri Chaer, graduado e mestrando da Escola Politécnica (USP), o desenvolvimento desta arquitetura tecnológica. Quem acompanhou o árduo itinerário de meses a fio de trabalho sabe da imensidão da tarefa. Com disciplina e expertise, Iúri, um dos poucos brasileiros a ter curso de aperfeiçoamento na Google, colocou-se à altura da missão. Além de racionalizar e enriquecer o projeto, Iúri aumentou também o grau de segurança do site.

Coube à artista gráfica Luciana Huber dar o toque de graça e leveza na nova apresentação do site. Com talento e criatividade adicionada ao conhecimento técnico adquirido na Suíça, onde aprofundou seus conhecimentos de diagramação e editoração eletrônica, Luciana deu ao site a beleza e a harmonia já familiar aos leitores que conhecem as edições do Anuário da Justiça, também projetadas por ela. Antes de aportar na Consultor Jurídico, a artista já emprestara seu brilho às páginas da revista Carta Capital e à Horizonte Geográfico.

Modo de Usar
Este roteiro de instruções foi feito para ajudar o leitor a explorar da forma mais eficiente os recursos de acesso, navegação e leitura da Consultor Jurídico.

1. Os textos são publicados no site em tempo real e ficam acessíveis para leitura de forma permanente, mesmo que não estejam visíveis na página inicial.

2. Para acessar um texto que já não está na capa, há dois caminhos: pela ferramenta de busca, na parte superior do lado direito da página inicial, identificada pelo botão vermelho com a palavra buscar; ou navegando pelas seções do site, cuja porta de entrada é o botão identificado com a palavra Seções, na barra de ferramentas, na parte superior da página inicial.

3. A maneira mais fácil de usar a ferramenta de buscas é utilizando palavras chaves. Basta escrever no espaço reservado ao lado do botão busca uma ou mais palavras referentes ao tema que se quer pesquisar. A busca avançada permite ainda pesquisas mais elaboradas por autor, por data, pelo título da reportagem, por seção, por área do Direito ou pelo grupo da comunidade jurídica a que ela se refere (advocacia, Judiciário, Ministério Público, etc).

4. A busca por meio da entrada de Seções permite localizar os textos referentes a determinada “Área do Direito”, à “Comunidade” da Justiça ou do Direito a que se refere, e ao tipo de texto (notícia, artigo, entrevista, coluna ou enquete).

5. A Loja Conjur, com os mais interessantes livros jurídicos do país, também foi reformulada para melhor atender os leitores. A partir de agora o usuário pode consultar o acervo de livros à venda na loja através da ferramenta de buscas ou consultando as várias seções, de acordo com o assunto de seu interesse.  

6. A partir de agora, a Loja Conjur admite, também, pagamento com os principais cartões de crédito da praça, além de boleto bancário e transferência bancária, com total segurança, através do PagSeguro, do UOL.

7. Para facilitar a compra, e evitar preencher o formulário de compra a cada transação, basta que o usuário faça o seu login antes de iniciar a transação.

8. Outra novidade deste formato de apresentação é que a navegação no site é amistosa para deficientes visuais: os textos mais importantes podem ser facilmente detectados pelos softwares utilizados por quem não consegue enxergar total ou parcialmente.

9. A Seção de Eventos exibe a programação de cursos, congressos e seminários programados para acontecer no país. Clicando no botão Procurar por datas é possível averiguar os eventos já ocorridos e os que vão ocorrer em determinada data.

10. O endereço da notícia corresponde à data e a seu título. Colocando só a data, é possível ver todas as notícias publicadas naquele dia. Veja um exemplo: se você escrever na linha de endereços http://www.conjur.com.br/2009-jan-08/ poderá acessar todas as notícias publicadas no dia 8 de janeiro de 2009.

 é diretor de redação da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 9 de janeiro de 2009, 22h27

Comentários de leitores

13 comentários

PROTESTO

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

CONTROLAR ADEQUADAMENTE O CADASTRO, SIM, MAS CENSURAR PREVIAMENTE O QUE FOR FALADO, NÃO.
ANTES ERA GOSTOSO LER OS COMENTÁRIOS, AGORA ESTÁ SEM BRILHO.
NÃO GOSTEI, MAS QUEM PODE, PODE.

MUDANÇA

Thiago Lacerda (Estudante de Direito)

Toda mudança é, via de regra, mal vista por parte daqueles que são "vitimados" a acompanhá-la. Me sinto mais um na multidão apenas por não observar, nas inúmeras transformações no site, o link de envio das notícias por e-mail.
Desde já parabenizo as alterações, fazendo esta observação.

Melhorou em algumas partes, piorou em outras...

Gabriel (Estudante de Direito)

O bom é a imagem de capa que agora se tem e a
"procura por data", que organizou muito melhor as pesquisas por matérias.
Ruim foi os comentários ficarem mais discretos de subsidiários.Preferia o antigo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.