Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Falta de verba

Atlanta está sem dinheiro para pagar defensores públicos

A cidade de Atlanta, na Geórgia, enfrenta um episódio sem precedentes na história jurídica dos Estados Unidos. Não há verbas para pagar defensores públicos e também advogados nomeados pelo estado para defender carentes. Há o risco de condenações serem anuladas porque as sentenças foram dadas contra réus sem advogados. As informações estão em The Atlanta Journal-Constitution.

Um dos casos é o de um homem acusado de matar ma mulher. Ele ficou sem advogado por oito meses, enquanto o processo corria. Jamie Ryan Weis matou, em fevereiro de 2006, a vendedora Catherine King. A promotoria queria a pena de morte - mesmo diante do fato de que os dois advogados abandonaram o caso por não terem recebido honorários do Conselho Público de Defesa do Estado da Geórgia. Os advogados Bob Citronberg e Tom West deixaram o caso alegando que não receberam "um único centavo do Estado" pela defesa de Jamie Weis.

Outro caso recente é o de Brian G. Nichols, que matou um juiz e outras três pessoas em 2005 com tiros. Os honorários de seu caso custaram US$ 2 milhões aos cofres públicos. Tamanha soma foi usada, nos últimos três anos, para justificar o corte de verbas da Defensoria Pública de Atlanta. Nichols foi condenado em dezembro de 2008 à prisão perpétua.

Revista Consultor Jurídico, 4 de janeiro de 2009, 12h01

Comentários de leitores

2 comentários

Eita dor de cotovelo ...

Defensor Federal (Defensor Público Federal)

Eita dor de cotovelo ...

Nos Estados Unidos ao menos os defendidos pelo ...

analucia (Bacharel - Família)

Nos Estados Unidos ao menos os defendidos pelo Estado têm que comprovar a carência e a preferência é para as causas criminais. Além disso, os escritórios exercem a advocacia pro-bono de 5% das suas causas, além de municipios, ONGs e faculdades colaborarem no atendimento. No Brasil, a defensoria quer ter monopólio de pobre, mas atende casos que aparecem na mídia, mesmo que seja um acidente de avião ou que seja magnata, principalmente se for cível e acabam concorrendo com a advocacia privada.

Comentários encerrados em 12/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.