Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Duas operações

PF tenta combater crimens financeiros e jogo ilegal

Por 

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (28/8), duas operações. Na Operação Harina, o objetivo é desarticular a atuação de supostos grupos criminosos, em São Paulo, que praticam crimes financeiros como evasão de divisas, câmbio ilegal, descaminho e lavagem de dinheiro. E a Operação Álea, na Bahia, é voltada ao combate ao jogo ilegal.

Os policiais federais, distribuídos em 28 equipes, cumprem 28 mandados de busca e apreensão e 19 mandados de prisão nas cidades de São Paulo e Santos, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e em Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul. Ocorrem também prisões no Uruguai, com o apoio da Interpol.

“Um dos grupos criminosos utilizava-se de empresas interpostas (fantasmas) e sucessivas operações fictícias de compra e venda, para a realização de importações com valores subfaturados. Para efetivar a evasão de divisas, os grupos realizavam, diariamente, operações conhecidas como dólar cabo, nas quais não há saída física da moeda, mas apenas um sistema extra-oficial de compensação entre doleiros e clientes, diz a PF.

Na Bahia, a Operação Álea se desenrola nos municípios de Vitória da Conquista, Jequié, Itambé e Anagé para investigar a distribuição e a exploração do jogo ilegal por meio de máquinas caça-níqueis. Segundo a  PF, “estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em residências e empresas pertencentes à organização criminosa, conforme determinação da Vara Federal de Vitória da Conquista”. Também foi decretado pela Justiça Federal o seqüestro de bens móveis e imóveis do líder da suposta organização bem como o bloqueio de contas bancárias e quebra de sigilo.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Polícia Federal.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 28 de agosto de 2009, 12h58

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 05/09/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.