Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Depois da guerra

Ministros do STF apoiam atuação de Gilmar Mendes

Por 

O acalorado bate-boca entre os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa, que pôs fim à sessão plenária desta quarta-feira (22/4), fez o Supremo Tribunal Federal cancelar também a sessão desta quinta (23/4). A decisão foi tomada em reunião dos ministros convocada por causa da discussão.

Depois de ficarem reunidos por mais de três horas, oito ministros do STF emitiram uma sucinta nota na qual “reafirmam a confiança e o respeito ao Senhor Ministro Gilmar Mendes na sua atuação institucional como Presidente do Supremo, lamentando o episódio ocorrido nesta data”. Não subscrevem a nota os ministros Mendes e Barbosa, envolvidos na discussão, e Ellen Gracie, que está em Genebra.

Os ministros chegaram a discutir uma nota de advertência ao ministro Joaquim Barbosa, pelos termos pesados que usou contra o ministro Gilmar Mendes. Mas acabaram preferindo fazer um comunicado em defesa da instituição. Ao sair da reunião, o ministro Celso de Mello considerou que o episódio já está superado. “O clima está natural”, disse. Já Marco Aurélio afirmou que o clima era bastante ruim: “Evidentemente que não acabamos de sair de uma lua-de-mel”.  Ressaltou que o Supremo “é uma corte que contempla o somatório de forças distintas, mas que prevaleça a organicidade e se observe a liturgia da instituição”.

Joaquim Barbosa e Gilmar Mendes protagonizaram mais uma discussão nesta quarta. Mendes insinuou que Barbosa guiaria suas decisões de acordo com as classes sociais envolvidas na ação. Barbosa reagiu, e disse que Mendes está “destruindo a Justiça desse país”.

Clique aqui para ler mais sobre o episódio.

Leia a nota dos ministros:


Os Ministros do Supremo Tribunal Federal que subscrevem esta nota, reunidos após a Sessão Plenária de 22 de abril de 2009, reafirmam a confiança e o respeito ao Senhor Ministro Gilmar Mendes na sua atuação institucional como Presidente do Supremo, lamentando o episódio ocorrido nesta data.

Ministro Celso de Mello
Ministro Marco Aurélio
Ministro Cezar Peluso
Ministro Carlos Ayres Britto
Ministro Eros Grau
Ministro Ricardo Lewandowski
Ministra Cármen Lúcia
Ministro Menezes Direito

 é correspondente em Brasília da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 22 de abril de 2009, 22h29

Comentários de leitores

22 comentários

Respeito e confiança?

Jusça (Funcionário público)

O Judiciário deve estar detestando o fato de suas desavenças terem sido transmitidas pela tv! Ficamos imaginando o que sabe o ministro Joaquim Barbosa e que não pode falar...Parece estar engasgado com isto e faz muito bem em colocar tudo à exposição do povo brasileiro! Precisamos saber em quem se pode confiar. O poder Legislativo não merece credibilidade; o Executivo muito menos, agora nos deparamos com o Judiciário, metendo os pés pelas mãos e tentando encobrir tudo sob a sua "batina". Parabéns Sr. Ministro Joaquim Barbosa! O povo brasileiro agradece pela sua coragem de enfrentar os que querem esconder de nós o que realmente se passa por aí! Que Vossa Excelência continue com a cobrança sobretudo no caso do mensalão, do sr. Daniel Dantas e tantas outras defesas do STF que são indefensáveis! Parabéns e continue firme, para que não perdamos totalmente a confiança neste poder que seria o último baluarte da defesa do cidadão brasileiro. O povo brasileiro agradece e apóia Vossa Excelência, com certeza!

GOSTEI

Gini (Servidor)

Adorei a briga. Joaquim Barbosa disse o que queríamos dizer e não podíamos. PARABÉNS MINISTRO!
Dizer que a pessoa não tem moral pra se manifestaré procurar encrenca.Pediu e levou.

OS AMIGUINHOS DEFENDEM O MENINO GILMAR DE CALUNDU, TADINHO

Bonasser (Advogado Autônomo)

Vejo na pequena reunião dos ministros em defesa e respeito ao Gilmar como uma manifestação de quem tem rabo preso, essa discussão foi uma situação normal entre os discordantes de um tema que se encontrava em tela naquela plenária, dotar o Gilmar desse calor ministerial é como se estivessem consolando um meninozinho de calundu apos uma briga com um de seus amiguinhos; tremenda babaquice mostra o tanto que o Gilmar mantém a ferro os seus pares, tudo isso se deve àquela adesão acerca dos HCs do Daniel Mendes, se naquela situação estavam com Gilmar, acharam que deveriam consolá-lo dessa vez... é uma pena.
Se naquela casa se praticasse o correto, como assim o povo brasileiro acredita, não ocorreria esse tipo de destempero, se os atores fossem mais adictos e praticassem mais o direito e menos vaidade a Nação estaria tranqüila.
Volto a dizer, Dalmo Dallari estava com a razão, à precoce indicação de Gilmar, foi e continua sendo um desastre e uma perda para o Judiciário, ele não guarda nada de julgador, é empresário do ramo de ensino, e essa pecha não sai assim tão fácil.
Uma coisa esses senhores devem sempre se lembrar, que são servidores públicos mantidos com o dinheiro da Nação, por essa razão devem respeitar o cargo ora ocupado e realizar e dar cabo dos trabalhos e bem feito, pois, o povo não se encontra satisfeito com o estrelismo deles menos ainda com relação ao Gilmar. São servidores do Povo, devem sempre se lembrar disso, se não estão satisfeito, que peçam para sair e vão cuidar de suas coisas. Não somos obrigados a estar assistindo esse tipo de espetáculo que não acrescenta nada ao Judiciário e nem à sociedade, menos arrogância e mais humildade se praticados com parcimônia sempre geram resultados visíveis e elogiáveis principalmente seu Gilmar.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/04/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.