Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Provas insuficientes

Algemado nos EUA, acusado de sonegação é absolvido

O piloto brasileiro de Fórmula Indy Hélio Castro Neves, que chegou a ser algemado nos Estados Unidos e teve de pagar fiança para não ficar preso, foi absolvido pela Justiça Federal Americana. Ele foi acusado de sonegação de impostos, evasão de divisas e formação de quadrilha. As informações são do portal G1.

Após seis semanas de julgamento e quase uma semana de deliberação na Corte Federal, os 12 membros do Júri consideraram não haver provas de que o piloto, sua irmã e um advogado houvessem sonegado impostos nem evadido divisas para contas no Panamá da empresa Seven Promotions, de propriedade do pai do piloto.

O piloto era acusado de sonegar impostos relativos a US$ 5,5 milhões da equipe Penske, e mais cerca de US$ 2,3 milhões de patrocínios da empresa brasileira Coimex. Segundo as investigações, havia suspeitas de que o piloto teria depositado os valores vindos da Penske em contas no Panamá, e depois transferido o dinheiro para outras contas, em bancos holandeses, em vez de declarar os valores ao fisco americano. De acordo com a acusação, os patrocínios teriam ido diretamente para contas na Suíça, também evitando o pagamento de impostos nos EUA, país em que o brasileiro mora há mais de 10 anos. Se fosse condenado, o piloto poderia pegar até 35 anos de cadeia. Em outubro de 2008, o piloto chegou algemado a uma audiência na Corte Federal da Flórida e pagou fiança equivalente a R$ 400 mil para responder ao processo em liberdade.

Os advogados do piloto afirmaram que seu cliente regularizará o pagamento dos impostos questionados pela Justiça dos EUA em maio, quando começará a receber os valores depositados nas contas dos bancos da Holanda.

Revista Consultor Jurídico, 17 de abril de 2009, 21h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 25/04/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.