Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Palavras-chave

Google responde por relacionar anúncios em buscas

A Google vai responder por relacionar anúnciados linkados a palavras-chave de pesquisas na internet. O processo foi ajuizado nos Estados Unidos pela empresa Rescuecom. As informações são do site Info Online.

Os três juízes do Tribunal de Apelação dos Estados Unidos para o estado de Nova York consideraram que "os argumentos do denunciante, como a afirmação de que o Google interfere nos resultados das buscas em seu sistema pelo termo Rescuecom com o objetivo de confundir o consumidor, representam uma reivindicação justa, de acordo com leis de direito de marca".

A conselheira de litígios da Google Catherine Lacavera informou que a companhia acredita que as denúncias não têm fundamento e continuará se defendendo das acusações. “Estamos decepcionados com essa decisão, mas continuamos confiantes de que nossa política de direito de marca mantém o equilíbrio adequado entre os interesses dos donos de marcas e as escolhas do consumidor."

Revista Consultor Jurídico, 6 de abril de 2009, 20h27

Comentários de leitores

1 comentário

Tudo tem o seu preço

E. COELHO (Jornalista)

O acesso às informações, para o homem comum, tem uma divisória AG e DG, Antes do Google e Depois do Google, tal foi a evolução e praticidade oferecida.
Não se pode negar que a Google revolucionou a forma de pesquisar as informações - em fração de segundos - é possível obter resposta para as mais simples às mais exóticas, complicadas e específicas questões.
Se na coluna lateral das informações aparecem alguns anúncios de fornecedores relacionados com aquele produto pesquisado, cabe ao pesquisador ler ou não estes anúncios.
Tudo tem o seu preço e esses anúncios mantém a empresa Google funcionando, proibir esta fonte de renda da empresa seria o mesmo que inviabilizá-la. O preço da pesquisa gratuita são os anúncios.
Vamos torcer para que a Justiça use o bom senso e mantenha a Google em funcionamento e prestando bons serviços para milhões de usuários.
Por outro lado, ninguém é obrigado a usar a Google e tampouco ler seus anúncios ou negociar através deles. Que seja respeitado o direito da Google de continuar trabalhando livremente, algo que aliás, faz muito bem.
Proibir os anúncios da Google seria o mesmo que proibir anúncios na TV aberta ou nas emissoras de rádio. Ora, faz favor!

Comentários encerrados em 14/04/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.