Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Escutas ilegais

De Sanctis fala por três horas durante depoimento à PF

O juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal, foi ouvido, na manhã desta quinta-feira (25/9), por um delegado da Polícia Federal no inquérito que investiga grampos ilegais feitos durante a Operação Satiagraha. O delegado foi até a sede do Tribunal Regional Federal da 3º Região, em São Paulo, para ouvir De Sanctis. O depoimento, sigiloso, durou cerca de três horas.

De acordo com reportagem da Agência Brasil, o juiz não deu declarações à imprensa, mas ao chegar ao TRF disse que “é constrangedor” o fato de ter de prestar depoimento à Polícia Federal.

De Sanctis foi ouvido sobre a escuta ilegal feita no telefone do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes. Em depoimento à CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas, na Câmara dos Deputados, em agosto, o juiz negou que tenha conhecimento de qualquer escuta telefônica ou outro tipo de monitoramento no gabinete do presidente do Supremo.

O grampo feito no telefone do ministro Gilmar Mendes e do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) foi revelado pela revista Veja em agosto. Há a suspeita de que esse e outros grampos foram feitos por um ex-agente do Serviço Nacional de Inteligência (SNI) e por servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) recrutados pelo delegado Protógenes Queiroz para atuar na Operação Satiagraha.

Promoção a caminho

O juiz Fausto De Sanctis pode deixar a 6ª Vara Criminal para assumir uma vaga no Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Duas cadeiras estão vagas no TRF-3. A primeira foi aberta com a morte de um desembargador e a outra com uma aposentadoria.

De Sanctis pode concorrer a uma delas por ser o juiz mais antigo e há mais tempo no cargo. Para concorrer às vagas, ele tem de fazer sua inscrição e ser aprovado em sessão do Órgão Especial. O tribunal não confirmou se o juiz já fez a sua inscrição.

Se ele for o escolhido para integrar o TRF-3, outro juiz terá de assumir o processo da Operação Satiagraha.

Revista Consultor Jurídico, 25 de setembro de 2008, 21h12

Comentários de leitores

31 comentários

Aliás, comentando a notícia, esse Tribunal não ...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

Aliás, comentando a notícia, esse Tribunal não informa nada, hein? Não informou o número do suposto Habeas Corpus negado que daria o direito a Daniel Dantas de recorrer ao STJ. Que, aliás, também não forneceu o número de outro HC negado, que daria a DD, finalmente, o direito de solicitar o remédio heróico ao STF, para aquela estranhíssima decisão de Gilmar Mendes, aquele que ainda pensa que é membro de governo do PSDB, opinando todos os dias sobre matérias que pode vir a julgar. Agora não informa sobre inscrição do juiz. Bom, de toda sorte, espero que o Juiz venha mesmo ocupar a cadeira de Desembargador. Alguém que trabalha com afinco e competência por tantos anos, a ponto de ser necessário uma série de infrações perpetradas pelo Presidente da mais alta Corte do País para desconstituir suas decisões, é alguém de valor. Aliás, vale lembrar que ano que vem Eros Grau se aposenta. Não custa deixar a lembrança, não é? Afinal, trata-se de um Juiz cujas decisões, segundo o próprio Gilmar Mendes, foram referendas pelo TRF-3 e pelo STJ. Estranho é todo mundo estar errado e só ele Gilmar, companheiro de ideais de Dantas, estar certo, não? Ou de fato houve supressão de instâncias? O dilema shakesperiano torna-se ainda mais curioso quando observa-se que nenhum brasileiro sabe que Juízes e Ministros do STJ denegaram os hipotéticos pedidos de Daniel Dantas, para que o STF pudesse manifestar-se. E nenhum Magistrado desses tribunais afirmou que também analisou o caso. E ninguém da imprensa, da advocacia criminal ou tributária teve curiosidade para saber. Nada como a ideologia dos honorários, hein?

Prezado Sr Mauro, vejo que VSa., se porta como ...

Atento (Outros)

Prezado Sr Mauro, vejo que VSa., se porta como um aluno rebelde e não como "professor", pois, teima em não aprender. Quando VSa. conjugava seu verbo "to be" - ainda na pré escola, este que vos escreve, já defendia presos políticos nas masmorras e pocilgas do DOI CODI.. Sabe porque ? Porque "professores" como VSa., são surdos, cegos e mudos por opção, não sabendo ou negando-se a aprender a diferença entre arbitrariedade e justiça. Sabe qual é o pior Sr Mauro "professor", é que quando a cobra que VsSas estão criando lhe picar, seus familiares irão chorar desesperados na ante-sala de algum escritório de Advocacia, clamando por sua inocência ou bradando contra a injustiça praticada por algum juizinho de plantão, acometido de súbita crise de juizite.

Então, Desatento. Além de desatento está sonole...

Mauro (Professor)

Então, Desatento. Além de desatento está sonolento? Se é assim, bons sonhos e durma com os anjos!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/10/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.