Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Operação Resplendor

PF prende delegados acusados de adulterar combustíveis

A Polícia Federal no Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira (25/9), dois delegados e cinco agentes da corporação, além de policiais militares de São Paulo, policiais militares e civis do Rio de Janeiro e fiscais da Receita Federal. A operação acontece na região de Volta Redonda, no Médio Paraíba do estado, e em São Paulo.

Segundo a PF, a Operação Resplendor, de caráter sigiloso, deve cumprir 39 mandados de prisão. O objetivo é coibir o transporte, a venda e a adulteração de combustível clandestino.

Os presos devem responder por formação de quadrilha, advocacia administrativa, uso de documentação falsa e sonegação fiscal. De acordo com a Polícia Federal, também há mandados de busca e apreensão a serem cumpridos, mas o número deles não foi especificado.

Revista Consultor Jurídico, 25 de setembro de 2008, 10h38

Comentários de leitores

5 comentários

Não é por conta de a ação envolver agentes públ...

Ramiro. (Advogado Autônomo)

Não é por conta de a ação envolver agentes públicos, da Polícia, que haverá de se ter com bastante clareza questões fundamentais que devem valer para todos, sem decaimento ou diminuição por conta da função profissional. O legítimo direito de ampla defesa, a ser exercida de forma técnica e por profissionais da advocacia, tanto na esfera administrativa quanto judicial. E será agora que os policiais verão a necessidade de ter realizando sua defesa profissionais da advocacia realmente capacitados para questionar a qualidade das provas, a qualidade da técnica investigativa empreendida, a idoneidade dos recursos usados. Como aluno de direito infelizmente sou obrigado a manifestar uma opinião desagradável. Em certas universidades que visam o lucro, colocam docentes que parecem mais interessados em usar o poder da caneta na correção para emburrecer na força os alunos. Curso de Direito não é análogo de pré-vestibular para concurso público. Curso de Direito é para ensinar a advogar e bem. Aqueles que querem concurso público que o busquem. No entanto aprovar alunos no serviço público virou a medida de tudo. E então com que advogados vocacionados ao Direito, à Advocacia contarão os delegados e agentes? Ou irão suscitar o exemplo de Cuba que nem defensoria pública tem, por que lá advogado é totalmente desnecessário?

Acredito que aqueles que exercem a nobre profis...

Ramiro. (Advogado Autônomo)

Acredito que aqueles que exercem a nobre profissão da advocacia encontrem nesta oportunidade, neste espaço, a ocasião adequada para mostrar um certo equilíbrio que infelizmente não exara de setores da PF. http://blogdoprotogenes.com.br/ "ESTAMOS VIVENCIANDO UMA ERA DE ESCÂNDALOS, FABRICADOS COM INTUITO DE CONFUNDIR O POVO E CRIAR PROVAS PARA BANDIDO. ” QUEM PROTEGE BANDIDO É ” ( Protógenes )" Frases de impacto assim lançadas são ótimas quando tudo parece que só vai acontecer na seara alheia, no espaço profissional dos outros. A pergunta que deixo no ar? Será que os defensores do "Avante PF" já irão qualificar como bandidos, como meliantes da pior espécie os membros da corporação presos, em fase ainda acusatória? E será que estes mesmos irão fazer coro ao Dr. Protógenes, dentro de tal lógica, classificando como bandidos aqueles advogados que tomaram a defesa, farão que seja exercido o legítimo e constitucional direito de defesa dos policiais acusados?

Concordo. Só tenho uma dúvida: como distingui...

José R (Advogado Autônomo)

Concordo. Só tenho uma dúvida: como distinguir os "do bem" dos "do mal" quando todos estão no exercício da função, prendendo e invadindo?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/10/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.