Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Juiz vs. juiz

Desembargadora do TRF confirma que juiz sabia de grampos no STF

A desembargadora Suzana Camargo, vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP e MS), confirmou à Polícia Federal que o juiz Fausto Martin de Sanctis lhe contou em julho detalhes sobre conversas captadas em ações de espionagem feitas no Supremo Tribunal Federal, conforme informa o jornalista Josias de Souza, em seu blog.

Segundo Suzana, De Sanctis afirmava ter recebido relatos de críticas feitas pelo ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo, ao seu trabalho. Suzana disse, no depoimento, ter ouvido de De Sanctis que Gilmar Mendes, entre outros comentários, o chamara de “incompetente” por causa da Operação Satiagraha. O desabafo do ministro aconteceu quando ele analisava o primeiro pedido de Habeas Corpus do banqueiro Daniel Dantas.

O depoimento de Suzana encontra-se anexado ao inquérito aberto pela PF para apurar a suspeita de que Gilmar Mendes foi vítima de grampos ilegais. Em 10 de julho, Suzana telefonou a Gilmar Mendes para avisar que ele estava sendo espionado, como revelou a revista Consultor Jurídico.

A suspeita de grampo veio a público depois que relatório da segurança do tribunal rastreou indícios de espionagem no STF. A varredura eletrônica feita no mesmo dia 10 de julho detectou sinal de rádio freqüência na sala da presidência do Supremo.

Em agosto, a revista Veja revelou diálogo telefônico entre Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). A suspeita é que o grampo tenha sido feito por Francisco Ambrósio e 52 servidores da Abin recrutados pelo delegado Protógenes Queiroz para atuar na Satiagraha.

Na semana passada, a desembargadora encontrou o ministro na cerimônia de posse da presidência do Superior Tribunal de Justiça. Ela repetiu as informações. Gilmar Mendes então a aconselhou a prestar depoimento à PF sobre o que sabia.

Em depoimento à CPI das Escutas Telefônicas, na Câmara de Deputados, De Sanctis negou ter dito o que Suzana confirma agora à PF. A polícia quer ouvir o juiz. Na quarta-feira (10/9), a CPI aprovou a convocação de Suzana Camargo para depor na Câmara.

Revista Consultor Jurídico, 13 de setembro de 2008, 14h12

Comentários de leitores

28 comentários

O povo quer saber: Cadê a gravação?

Senhora (Serventuário)

O povo quer saber: Cadê a gravação?

Engana-se quem pensa que comando paralelo volta...

sebastian (Bacharel - Administrativa)

Engana-se quem pensa que comando paralelo voltado para o crime só existe em morro ou favela. infelizmente, essa praga hoje está instalada dentro do serviço público, com todos os perigos que representa para a democracia.

Se ousaram isso contra o Supremo - guardião da ...

João G. dos Santos (Professor)

Se ousaram isso contra o Supremo - guardião da CF - dá pra ter uma idéia de como as coisas andam aqui embaixo. O brocardo jurídico que impera é o "salve-se quem puder", ou melhor, "quem eles quiserem".

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 21/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.