Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Interceptações prorrogadas

Réus tentam derrubar provas baseadas em grampos prorrogados

Acusados de crimes contra o sistema financeiro nacional e de lavagem de dinheiro, sete comerciantes pernambucanos apresentaram, em conjunto, Habeas Corpus no Supremo Tribunal Federal com pedido de liminar, contra decisão judicial que determinou a quebra de seus sigilos bancário e telefônico. Eles alegam que não há despacho do juiz, autorizando as operadoras de telefonia a prorrogarem a interceptação.

Os comerciantes pedem liminarmente a suspensão da ação penal que respondem e, no mérito, a invalidação das provas obtidas. A defesa argumenta que as decisões dos tribunais, que negaram pedidos em HC, preocuparam-se apenas em analisar o teor da decisão de primeiro grau, e não a ausência de despacho do juiz que autorizava as empresas de telefonia a prorrogar as interceptações.

Os comerciantes contestaram a quebra de sigilo no Tribunal Regional Federal da 5ª Região. O pedido foi negado com o fundamento de que a decisão judicial quanto à interceptação estava de acordo com os argumentos jurídicos formulados pelo Ministério Público.

O Superior Tribunal de Justiça também considerou “suficientemente motivadas as decisões que decretaram a quebra de sigilo bancário e a interceptação telefônica, ao se remeterem expressamente aos fundamentos utilizados pelo Ministério Público e pela autoridade policial”. O relator do Habeas Corpus é o ministro Cezar Peluso.

HC 96.056

Revista Consultor Jurídico, 10 de setembro de 2008, 17h58

Comentários de leitores

4 comentários

Não entendo, comete-se crime e o problema é o g...

Bira (Industrial)

Não entendo, comete-se crime e o problema é o grampo?

Gilmar Conseguiu.. Ele acabou o estado policial...

Quintela (Engenheiro)

Gilmar Conseguiu.. Ele acabou o estado policial e criou o “estado bandidagem”! - Parabéns Sr. Gilmar pelo des-serviço a nação brasileira.

É só o começo.

Victor (Estudante de Direito - Criminal)

É só o começo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.