Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Efeito especial

Marta Suplicy não pode usar computação gráfica em propaganda

A candidata a Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy (PT), e a coligação Uma Nova Atitude Para São Paulo (PT, PC do B, PDT, PTN, PRB e PSB) estão obrigadas a deixar de veicular em sua propaganda eleitoral inserções com a utilização de efeitos de computação gráfica. A liminar foi dada pelo juiz Marco Antonio Martin Vargas, juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. Cabe recurso.

O pedido foi feito pelo prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), e pela coligação São Paulo no Rumo Certo (DEM, PMDB, PR, PV, PSC E PRP). O juiz reconheceu que há na propaganda “recurso técnico e computação gráfica com placas em movimento, na transição de imagem e rotação de quadros de vídeos”.

A legislação eleitoral proíbe a utilização em inserções de “computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais”.


Revista Consultor Jurídico, 10 de setembro de 2008, 18h14

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.