Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desde a infância

TJ mineiro condena pai por abusar sexualmente da filha

A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou um homem, residente na cidade de Andradas, a cumprir pena de 12 anos de reclusão em regime fechado por ter abusado sexualmente da própria filha.

O desembargador Alexandre Victor, relator do caso, entendeu que a conduta do acusado consistiu em toque com conotação sexual, sem, todavia, haver contato mais agressivo. Com isso, recomendou que a pena fosse reduzida para três anos de reclusão.

No entanto, os desembargadores Hélcio Valentim e Pedro Vergara entenderam que a legislação enxerga ser muito grave a conduta do acusado e que, “se há uma lei com plena vigência, torna-se incabível a redução da pena”. Assim, mantiveram a condenação. O relator ficou vencido.

Histórico de abusos

Segundo os autos, desde que a filha completou nove anos, o pai abusava dela. A menina contava para a mãe as investidas. A mãe, no entanto, somente acreditou quando flagrou o pai assediando a menina, aos 14 anos. A mãe da menina chamou a Polícia. O marido fugiu, mas foi capturado.

A vítima prestou depoimento. Ela contou que não era a primeira vez que seu pai tentava lhe agarrar. Afirmou ainda que, certa vez, disse que só daria dinheiro a ela para comprar um presente para o dia das mães se ela permitisse ser tocada nos seios e nas partes íntimas.

O pai negou os fatos. Alegou em sua defesa que a mulher só chamou a Polícia porque eles estavam brigados. Contudo, os argumentos não foram convincentes e o Ministério Público pediu a condenação do acusado.

Em primeira instância, ele foi condenado a 12 anos de reclusão em regime fechado. O acusado recorreu, então, ao TJ mineiro. A decisão foi mantida.

Revista Consultor Jurídico, 8 de setembro de 2008, 17h52

Comentários de leitores

3 comentários

A fabrica destes monstros está na impunidade ou...

Helena Fausta (Bacharel - Civil)

A fabrica destes monstros está na impunidade ou na falta do castigo condizente com o tamanho do crime horrendo que praticam, sem contar com a conivência de mulheres que são tão covardes e criminosas quanto eles..., a moral que outrora norteava nossas vidas, hoje, é motivo de risadas e escárnio....

A falta de proporcionalidade nas decisões de al...

diemaled (Estudante de Direito - Civil)

A falta de proporcionalidade nas decisões de alguns Juízos brasileiros é gritante. Não que esse caso mereça o repúdio, e este ser materializado com o jus puniendi. Entretanto, alguns homicidas, traficantes, sequestradores, etc, já foram condenados a penas iguais ou até menores que esta.

Ele deverá receber aquilo que merece, se é que ...

futuka (Consultor)

Ele deverá receber aquilo que merece, se é que ainda tem algum 'ser que se diz humano' com seus atos ou vontades demonstradas através de pequenas ações de selvageria,, sabe como é a 'lei' atrás das grades. Ao invés de negar melhor ele já levar o 'baton'. rs

Comentários encerrados em 16/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.