Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Espião grampeador

Suspeito de grampear STF não é da Abin, diz a Agência

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) negou, em nota, que o ex-agente do Serviço Nacional de Inteligência (SNI) Francisco Ambrósio do Nascimento pertença aos quadros do órgão. A informação é da Agência Brasil.

Nascimento foi citado em reportagem da revista IstoÉ desta semana como coordenador de uma operação da Abin que teria feito escutas telefônicas de autoridades, inclusive do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, a pedido do delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, ex-coordenador da Operação Satiagraha.

“Ex-servidor da Aeronáutica, Nascimento esteve no órgão que antecedeu a Abin, do qual se aposentou em 1998, portanto antes da criação da agência (Lei 9.883, de 7 de dezembro de 1999). Desde que se aposentou, Nascimento não participou de qualquer atividade da Abin”, registrou a nota.

Neste domingo (7/9), o ministro da Defesa, Nelson Jobim evitou comentar as novas denúncias sobre escutas telefônicas feitas pela revista. “Isso é assunto exclusivo para inquérito”, afirmou após participar do desfile cívico-militar em comemoração ao dia 7 de Setembro.


Revista Consultor Jurídico, 7 de setembro de 2008, 19h34

Comentários de leitores

7 comentários

É a direita canalha se lambuzando com a salvaçã...

Armando do Prado (Professor)

É a direita canalha se lambuzando com a salvação do "supeito-mor" DD.

Estranho seria se o escritório de espionagem na...

Leila (Outros - Empresarial)

Estranho seria se o escritório de espionagem nacional confirmasse que o espião era espião...só pode ser piada isso! E tem gente que acredita!

Há gente que tem dificuldade de perceber que pe...

Ramiro. (Advogado Autônomo)

Há gente que tem dificuldade de perceber que perdeu, no particular a construção de uma STASI tupiniquim foi pelo ralo. O processo por certo será não célere, bem como será doloroso, mas parece que nada poderá deter o avanço das coisas. O resto é jus esperniandi.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.