Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Controle online

CNJ quer centralizar acompanhamento de execuções penais

A Comissão Temporária de Acompanhamento do Sistema Prisional, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), quer criar um processo eletrônico unificado para acompanhar as execuções penais de todo o país. A idéia é garantir aos presos a concessão de benefícios legais que eventualmente não estejam sendo cumpridos.

O acompanhamento será complementar ao projeto de mutirões carcerários, lançado pelo CNJ e iniciado na semana passada no Rio de Janeiro. Agora, para discutir esse assunto, a Comissão vai se reunir no próximo dia 10 de setembro, em Brasília, com o secretário geral do CNJ, Álvaro Ciarlini, e representantes da Diretoria de Informática do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e de Sergipe.

“Queremos conhecer o sistema de informática que está sendo utilizado nesses estados para ver se há possibilidade de adaptações”, disse o conselheiro Jorge Maurique, presidente da comissão. Segundo ele, conhecer o sistema de informações judiciárias é o primeiro passo para trabalhar na formação de um processo eletrônico.

“O CNJ quer ter um acompanhamento diário do sistema carcerário, em tempo real, de quantas saídas e entradas no sistema, o tempo de sentença, tudo isso para que seja realizado um trabalho eficaz.”

A reunião da Comissão Temporária de Acompanhamento do Sistema Prisional antecederá o Seminário Nacional de Execuções Penais, que será promovido em Brasília no dia 11 de setembro. Um dos objetivos é criar um grupo de trabalho para transformar o mutirão carcerário em um projeto nacional, “como hoje ocorre com a Semana Nacional de Conciliação”, explicou o conselheiro.


Revista Consultor Jurídico, 3 de setembro de 2008, 0h00

Comentários de leitores

3 comentários

Veja o absurdo, um aluno do 8 (oitavo) períod...

Junior (Outros)

Veja o absurdo, um aluno do 8 (oitavo) período de Matemática da Faculdade Rural do Rio de Janeiro foi condenado por tráfico no processo n. 2008.077.000866-0, Vara Criminal de Seropédica, Rio de Janeiro, por trazer consigo 06 (seis) trouxinhas de maconha, o cumulo do absurdo, é que este sujeito já ganhava R$ 2.000,00 dando aulas, possuía atividade lícita, portanto, se uma Juíza condena desta forma este sujeito é porque ela tem uma mentalidade incriminadora, ou seja, a Juíza ao invés de descriminalizar o sujeito está incriminando o sujeito, OITAVO PERÍODO DE MATEMÁCA, com OITO trouxinhas, é demias, portanto, de repente algum parente dela deve estudar nesta Universidade e ela está querendo aplicar uma política de segurança pública que não é papel dela, ao invés do Direito Penal, deve ser isso, senão gosta de gastar o dinheiro público já que não avaliou a personalidade do sejeito, neste caso, estudante de OITAVO período de MATEMÁTICA, senão, ela quer educar os presos de outra forma, éeeee o CNJ tem que primeiro consertar sua própria casa e depois resolver o resto.

O problema não são os presos e o tempo, coisa...

Junior (Outros)

O problema não são os presos e o tempo, coisa maior está por trás disso, é só o CNJ não ser hipócrita, e verificar que o custo de um preso para o Estado interessa as autoridades do Executivo, Governador e Secretários, aliás, é de interesse do Executivo que os presos superlotem as cadeias, só assim eles podem gastar o dinheiro público porque ganham uma comissão cada vez que alimenta um preso, veste e trata do preso, pois que, se para o preso isso é ruim, para as autoridades públicas principalmente do Executivo isso é muito bom já que os fornecedores passam a comissão dos gastos para as autoridades. Veja quanto pedágios estão sendo criados nas Rodovias, é mentira que as autoridades Executivas principalmente do BNDS não tem uma comissão nestes pedágios. Pois bem, tem presídio que a comida é contaminada só para os presos comprar ou assumir dívida na cantina do Diretor, e por ái vai, com raríssimas excessões é claro. Então, o que o CNJ faz ou está fazendo em favor dos presos além de os aliviar do cárcere está acabando com a farra e da mamata do poder exexcutivo e outros órgãos públicos, não sejamos hipócritas, preso merece respeito.

..espero que o Cnj não tente 'abraçar tudo q...

futuka (Consultor)

..espero que o Cnj não tente 'abraçar tudo que se aproxima' ..senão será só mais um bem intencionado. -"Vai nadar e nadar até que ao seu tempo vai morrer na praia"

Comentários encerrados em 11/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.