Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Falta de provas

Justiça absolve mãe acusada de colocar cocaína em mamadeira

Por falta de provas, a Justiça de Taubaté absolveu Daniele Toledo do Prado, acusada de colocar cocaína na mamadeira da filha de um ano e três meses. A decisão foi tomada, na sexta-feira (29/8), pelo juiz Marco Antonio Montemór, da Vara Criminal de Taubaté. Cabe recurso. A informação é do portal G1.

O juiz afirmou que “não se comprovou que a criança Vitória morreu em decorrência de intoxicação grave (overdose) de cocaína; não se comprovou, também, que a mãe tenha, de fato ou presumivelmente, ministrado a consumo de sua filha que não fosse alimentação ou remédios prescritos em seus atendimentos”.

Montemór disse, ainda, que nenhuma ação ou omissão por parte da mãe tem relação com a morte da criança, que ainda tem causa desconhecida.

O próprio promotor do caso alegou que as provas produzidas contra Daniele do Prado não sustentavam as acusações iniciais.

A mãe da menina ficou presa por 37 dias em 2006, suspeita da morte da filha Vitória. Nesse período na prisão, chegou a ser espancada. Análises preliminares feitas pela Polícia no mesmo dia da morte, indicaram a presença de cocaína na mamadeira e na boca da menina. Daniele só foi solta depois que o resultado definitivo do Instituto Médico-Legal descartou a versão policial.

Revista Consultor Jurídico, 2 de setembro de 2008, 14h36

Comentários de leitores

4 comentários

JUSTISSA & GRUPELHOS DE PODER Vamos reler al...

Sandra Paulino (Advogado Autônomo)

JUSTISSA & GRUPELHOS DE PODER Vamos reler alguns artigos do CONJUR, que insiste na expressão "MÃE ACUSADA": http://www.conjur.com.br/static/text/51031,1 http://www.conjur.com.br/static/text/60830,1 Proponho - MAIS UMA VEZ - que nós todos, advogados que temos brio, façamos aqui mesmo, neste site, um manifesto em favor da VERDADE. Será lícito pedirmos investigação a respeito do estupro sofrido por Daniele Prado, que ela registrou na delegacia, mesmo ameaçada pelo estudante de medicina autor do crime? E o delegado do caso, o que fez? A médica que acusou Daniele, por qual delito responderá? Quem se omitiu do socorro ao bebê, gastando tempo para chamar a polícia e o conselho tutelar? Quais os interesses subjascentes nessa história de horror e podridão que envolve as mais diversas autoridades? Por quê o nome desse "residente" está sob sigilo até mesmo na imprensa até hoje? Preservação? E a vida de Vitória, quem pagará por sua perda? A vida da própria Daniele, quem vai restaurar depois de todo o terror vivido? E quando deixará de ser a mãe acusada para ser a mãe inocente, vergonhosamente acusada como "prêmio" por delatar um crime nojento e acobertado? essa a justissa que temos visto em taubaté... p.s. - como andam as investigações sobre o promotor Marcelo Negrini?

Leia-se : ela.

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Leia-se : ela.

Sérgio, não foi este caso, mas ele informou...

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Sérgio, não foi este caso, mas ele informou na época que apanhou muito. Realmente, este país não presta!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/09/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.