Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Diamante Negro

Policial preso por extração ilegal de madeira pede Habeas Corpus

Um policial rodoviário preso na Operação Diamante Negro, da Polícia Federal, pediu Habeas Corpus ao Supremo Tribunal Federal. O acusado pede para responder em liberdade o processo que é movido contra ele na 1ª Vara Federal da Comarca de Três Lagoas (MS).

O servidor está detido desde o dia 20 de maio sob a acusação de estar envolvido num esquema para a extração ilegal de madeira. De acordo com a PF, as toras desviadas ilegalmente eram usadas na produção de carvão vegetal.

No pedido de Habeas Corpus, o policial alega que não há provas contra ele e que ele está sofrendo constrangimento ilegal, já que sua prisão não obedeceu aos pressupostos do artigo 312, do Código de Processo Penal. O dispositivo determina: “A prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria”.

Pedidos do policial para responder ao processo em liberdade já foram negados pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região e pelo Superior Tribunal de Justiça. Na apreciação do caso pelo STJ, foi invocada a Súmula 691, do STF, que impede que o tribunal analise pedido de Habeas Corpus contra decisão monocrática.

Habeas Corpus 95.411

Revista Consultor Jurídico, 25 de julho de 2008, 0h00

Comentários de leitores

1 comentário

Sem trocadilho, é muita cara-de-pau ! acdinama...

acdinamarco (Advogado Autônomo - Criminal)

Sem trocadilho, é muita cara-de-pau ! acdinamarco@aasp.org.br

Comentários encerrados em 02/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.