Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Justa causa

Uso indevido de e-mail corporativo é motivo de justa causa

O uso de e-mail corporativo para provar má conduta de empregado não fere o artigo 5º da Constituição Federal, que garante ao cidadão o direito à privacidade e sigilo de correspondências. O e-mail corporativo não pode ser comparado às correspondências postais e telefônicas, que têm cunho pessoal. Ao contrário, trata-se de ferramenta disponibilizada pelo empregador ao empregado para uso profissional.

O entendimento é da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF). Os juízes negaram recurso ajuizado por uma atendente, que tentava reverter a justa causa em sua demissão. A alegação foi a de que a empresa usou cópias de e-mails para justificar a dispensa. Ela alegou que o procedimento é proibido pela Constituição Federal.

Segundo o relator do processo, juiz Ricardo Alencar Machado, as mensagens juntadas aos autos evidenciam que a atendente de forma reiterada descumpria ordens gerais da empresa — inclusive quanto ao uso do e-mail corporativo para fins pessoais, que era proibido. “Trabalhava com extrema desídia e desrespeitava os clientes da empresa. Procedimentos que justificam a aplicação da pena de demissão motivada a justa causa”, ressaltou.

Para ele, o e-mail corporativo não é um benefício contratual indireto. Portanto, não há como reconhecer a existência de direito à privacidade na utilização de equipamentos concebidos para a execução de funções geradas por contrato de trabalho. Os juízes da 1ª Turma concluíram que a utilização das mensagens como prova é legítima e ratificaram a demissão por justa causa.

Processo: 00708-2007-014-10-00-3

Revista Consultor Jurídico, 29 de fevereiro de 2008, 11h54

Comentários de leitores

7 comentários

E os juízes que usaram seus laptops para ver as...

André Gomes (Prestador de Serviço)

E os juízes que usaram seus laptops para ver as fotos da ex do senador Renan Calheiros, não deveriam ser exonerados!!!

Há uma má interpretação pelos empregados e tamb...

MFG (Engenheiro)

Há uma má interpretação pelos empregados e também muitas vezes falta de esclarecimento por parte do empregador. O e-mail corporativo é para uso restritamente profissional e não para enviar "cartas" a amigos. Se quer ficar se comunicando por e-mail com amigos e outros que o faça com e-mail próprio.

Se a demissão se deu porque a empregada usava o...

Rui (Consultor)

Se a demissão se deu porque a empregada usava o e=mail para destratar os clientes, tudo bem, ams se o uso er para enviar "cartas" a um amigo ou parente..... Na minha humilde interpretação, gostaria de ter acesso aos e-maio ou correio eletrônico dos magnificientes magistrados, juízes e promotores, para ver o que escrevem e a quem. Lex ora a Lex ! Sempre aplicada aos outros.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 08/03/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.