Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Inércia do Estado

Menina de 14 anos está presa em cadeia masculina em Goiás

O representante da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH), Firmino Fecchio, confirmou que uma menina de 14 anos está presa na Cadeia Pública de Planaltina (GO) junto com outros 110 homens. A Secretaria tenta negociar com o juiz local uma solução para o caso. Ela está presa há 13 dias e foi detida depois de um furto em uma farmácia. As informações são da Agência Brasil.

Segundo Fecchio, o local não é adequado para reclusão da menina e sua transferência para outra cidade que tenha centro de reabilitação de jovens é uma das possibilidades. Além disso, ele afirmou que a Secretaria vai tentar localizar a família da menina.

O diretor da cadeia, Reinaldo da Rocha Brito, confirmou que além da adolescente mais três mulheres estão presas no mesmo pavilhão que os homens, embora em celas distintas. A cadeia tem capacidade para 49 homens, mas atualmente existem 110 presos. A unidade foi construída para abrigar presos que aguardam julgamento.

Brito afirmou para a Agência Brasil que não existe na cidade nenhuma cadeia feminina nem centros para jovens em conflito com a lei e garantiu que as celas e o horário de banho de sol de homens e mulheres são separados.

O agente prisional Flávio Alessandro Pimentel disse que apenas dois policiais cuidam da segurança dos 110 homens em cada turno, trabalhando 24 horas e folgando 72. Outros três cuidam dos serviços administrativos. Ele reclama que as condições são precárias e são necessários investimentos.

“Você faz o que dá conta e o que a lei permite, porque o preso tem o direito a ela. A gente faz esse trabalho preventivo, que é o que a gente pode fazer hoje no sistema prisional de Goiás, que é uma decadência. O sistema prisional de Goiás é falido, a gente não recebe apoio nenhum. Primeiro precisamos de estrutura de trabalho. A gente anda empurrando viatura por aí”.

O diretor da cadeia disse que o número de agentes é insuficiente e uma obra de ampliação do prédio está paralisada por falta de verbas.

Em novembro do ano passado, o Conselho Tutelar de Abaetetuba (PA) apresentou o caso de uma garota de 15 anos que ficou presa por quase um mês em uma cela com 20 homens. Ela era obrigada pelos presos a manter relações sexuais em troca de comida. Em dezembro, o corregedor-nacional de Justiça, ministro Cesar Asfor Rocha, determinou a abertura de procedimento disciplinar para apurar se a Justiça do Pará tem responsabilidade sobre o caso da menor.

Revista Consultor Jurídico, 8 de fevereiro de 2008, 17h21

Comentários de leitores

9 comentários

Aos críticos referente ao título da matéria! A...

MFG (Engenheiro)

Aos críticos referente ao título da matéria! A garota está presa sim com mais 110 homens (no mesmo presídio) e diga-se de passagem é bom conhecerem as estruturas destes "belos" presidios e seus efetivos isolamentos. A matéria não diz que está na presa namesma cela com 110 homens. O problema é que não deveria nem estar no presídio. O problema continua no colo deste belíssimo governo sim.

Deveria ser preso quem colocou este título a ma...

CHORBA (Bancário)

Deveria ser preso quem colocou este título a matéria. Ela não esta presa com 110 Homens, Esta sim, no mesmo presídio, quer já é uma falha. O perigo da imprensa. A conotação perigosa que dá uma matéria mal formulada. Vão culpar o Lula por mais esta? Senhor repórter o CONJUR é um site de confiança, mais cuidado. chorbamatrix@gmail.com

-"CELAS DISTINTAS ..HMMM!" De nôvo..!! Mais ...

futuka (Consultor)

-"CELAS DISTINTAS ..HMMM!" De nôvo..!! Mais dessa vez com 110, será que a mesma 'imprensa vai direcionar seus canhões' para o delegado(a)ou ao dito estado da federação e suas laboriosas forças governantes(?)..que tal mandar 'enforcarem todos os envolvidos',, pois assim estava o clima na tal descoberta anterior do pará..ou não! ..alguém se recorda.. -Perguntar não ofende, né!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/02/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.