Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Apenas aborrecimento

Erro de laboratório sem dano moral não gera indenização

Resultado incorreto de exame de sangue, sem qualquer efeito na vida do paciente, não gera danos morais. O entendimento é do juiz Hamilton Gomes Carneiro, do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Cristalina (GO), que negou pedido da gestante Maisa Calabrez Batista e livrou a Sociedade Médica Luziânia – Hospital e Maternidade Santa Luzia (Laboratório de Análises Clínicas) de pagar R$ 7, 6 mil de indenização pelo erro.

Na Justiça, a gestante alegou transtornos e prejuízos psicológicos sofridos pela divulgação incorreta de um exame de tipagem sanguínea.

Para o juiz Hamilton Carneiro, ela não demonstrou os prejuízos sofridos por ter recebido um exame incorreto, “pois afirmou que já sabia seu tipo sanguíneo antes de realizar o exame na unidade laboratorial, não prevalecendo o resultado do exame realizado pela ré”.

A autora sustentou que, por estar gestante, em acompanhamento pré-natal, teve que fazer diversos exames, inclusive o da tipagem sanguínea, mesmo sabendo pertencer ao Grupo AB+ (positivo). Ela já havia feito este exame em duas gestões anteriores. O resultado do exame, no entanto, apontou erroneamente que a gestante pertencia ao Grupo O+ (positivo).

Diante desta situação, ela ressaltou que não se sentia segura em continuar o pré-natal ou mesmo de ter seu filho naquele hospital. Ao fundamentar a sentença, o juiz observou que de fato existiu culpa da empresa por entregar um exame incorreto à paciente, pois este poderia causar-lhe algum dano. “Entretanto, afirmou a requerente na peça inicial que sabia seu tipo sanguíneo, não prevalecendo assim, o resultado do exame entregue pela requerida”, disse o juiz. Para ele, “não existiu nenhum dano a ser reparado pelo laboratório, não havendo o nexo de causalidade entre a ação e o dano a ser reparado”.

Revista Consultor Jurídico, 6 de fevereiro de 2008, 12h18

Comentários de leitores

0 comentários

A seção de comentários deste texto foi encerrada.