Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prazo justificado

Excesso de prazo em investigação se justifica se caso envolve PCC

Alexandre do Prado Rodrigues, suposto integrante da facção criminosa conhecida como PCC, continuará preso preventivamente. A decisão é da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. O relator do caso, juiz convocado Carlos Mathias, negou o Habeas Corpus que pedia a liberdade provisória.

O juiz explicou que o fato de o réu ser acusado de pertencer a uma facção criminosa de alta periculosidade, organizada de maneira complexa e com diversos integrantes justifica o excesso de prazo para que sejam apurados os fatos graves imputados a ele.

Em 2006, o acusado foi preso em flagrante na companhia de 25 co-réus e denunciado nos autos da ação penal por tráfico ilícito de drogas, formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo.

Em primeira instância, a defesa apresentou o pedido de liberdade provisória, que foi posteriormente negado. Inconformada, ajuizou Habeas Corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo. Lá, teve o pedido negado sob o fundamento de que o caso é de muita repercussão, envolve um grande número de pessoas e acontecimentos a serem apurados.

Por esse motivo, a defesa recorreu ao STJ. Argumentou excesso de prazo para a formação de culpa sem que seja encerrada a instrução criminal. O objetivo da defesa era buscar, em liminar e mérito, a concessão da ordem para que fosse expedido o alvará de liberdade em seu benefício. O pedido foi negado.

HC 77.155

Revista Consultor Jurídico, 28 de setembro de 2007, 11h06

Comentários de leitores

1 comentário

Interessante a notícia, pois talvez estejam cri...

Comentarista (Outros)

Interessante a notícia, pois talvez estejam criando uma nova regra no CPP... - DOS INTEGRANTE DO PCC: Art. 15.3.3: Os supostos integrantes do PCC não são "beneficiários" dos prazos previsto neste código (sic). Parágrafo único: Com a palavra, os defensores da legalidade e do direito!

Comentários encerrados em 06/10/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.