Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Portas da advocacia

UERJ tem melhor desempenho no exame de Ordem do Rio

Por 

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) teve o melhor desempenho no Exame de Ordem do Rio, aprovando 67% dos 75 alunos seus que participaram da prova. Em segundo lugar, no ranking de escolas com melhor desempenho, aparecem a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Universidade do Rio de Janeiro (UNI-Rio), com 50%, seguidas pela PUC-RJ, com 47%.

Apesar do bom desempenho das universidades públicas e tradicionais, a escola que mais alunos aprovou, em números absolutos, foi a Estácio de Sá: com um índice de aprovação de meros 13%, a Estácio aprovou 196 alunos, quase quatro vezes mais do que a Uerj.


Fizeram as provas do 32º Exame de Ordem da seccional fluminense da OAB 6.428 candidatos, dos quais apenas 673 obtiveram aprovação. Em média, apenas um em cada 10 candidatos que fizeram o Exame de Ordem, no Rio, obtiveram a carteira de advogado neste ano.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (24/9), pelo presidente da OAB-RJ, Wadih Damous. O Rio é um dos 21 estados que já participam do Exame com conteúdo unificado da Ordem. São Paulo, e outros cinco estados fazem suas provas no mesmo dia, mas cada um elabora suas próprias provas.

Os números entre as duas seccionais mais influentes também são contrastantes. Em São Paulo, mais de 46 mil candidatos prestaram o Exame, dos quais 10.978 foram aprovados, resultando num índice médio de aprovação de 23,7%. A USP obteve o melhor índice de aprovação, com 74,7% enquanto a Unip aprovou o maior número de candidatos, em termos absolutos: 1.435.

Apenas seis das 30 escolas que mandaram alunos para o Exame conseguiram índice de aprovação acima dos 20%. O Centro Universitário Augusto Motta, por exemplo, não conseguiu aprovação para nenhum dos seus 134 alunos. Já o Centro Universitário Moacyr S. Bastos, que inscreveu 121 alunos no Exame, conseguiu a aprovação de um.

Ao comentar o resultado do Exame, o presidente da seccional da Ordem no Rio, Wadih Damous, afirmou que a OAB tem primado pela busca de uma qualificação maior para os cursos jurídicos mas lamentou a abertura desenfreada de cursos de Direito em todo o país. "A proliferação de cursos jurídicos tem gerado uma qualidade abaixo da mediocridade e isso é um calote social", afirmou Wadih Damous, que pretende discutir com o ministro da Educação, Fernando Haddad, o péssimo ensino jurídico apresentado pela maioria das faculdades do Rio de Janeiro.

Veja os rankings das escolas no 32º Exame de Ordem da OAB-RJ:

RANKING DE FACULDADES COM MELHOR ÍNDICE DE APROVAÇÃO NO EXAME DE ORDEM DA OAB-RJ

Base: Exame de Ordem 32 da OAB-RJ


Faculdade

Cand.

Apro

Indice

1 Uerj

75

50

66,67

2 UFF

76

38

50,00

3 Uni-Rio

22

11

50,00

4 PUC-RJ

130

61

46,92

5 UFRJ

217

88

40,55

6 F. Dir. Evandro Lins e Silva

22

8

36,36

7 Estácio de Sá

1.478

196

13,26

8 Fac. Dir. de Campos

122

14

11,48

9 Cândido Mendes

734

84

11,44

10 Católica de Petrópolis

101

9

8,91

11 C. Um de Volta Redonda

13

1

7,69

12 Unigranrio

134

10

7,46

13 FESO

63

4

6,35

14 Fac. Int. Bennett

64

4

6,25

15 Um. Veiga de Almeida

213

12

5,63

16 F. Ed. D. André Arcoverde

92

4

4,35

17 C. Um. Barra Mansa

234

10

4,27

18 Gama Filho

270

11

4,07

19 UniverCidade

1.095

37

3,38

20 F. Moraes Jr.

34

1

2,94

21 U. Santa Úrsula

39

1

2,56

22 Abeu

39

1

2,56

23 Universo

320

8

2,50

24 Unipli

100

2

2,00

25 Um. Castelo Branco

56

1

1,79

26 Um. Iguaçu

318

5

1,57

27 Suesc

97

1

1,03

28 C. Un. Moacyr S. Bastos

121

1

0,83

29 C. Un. Augusto Motta

134

0

0,00

30 Fac. São José

15

0

0,00


RANKING DE FACULDADES COM MAIOR NÚMERO DE CANDIDATOS APROVADOS NO EXAME DE ORDEM DA OAB-RJ

Base: Exames de Ordem 32 da OAB-RJ


1

 é diretor de redação da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 24 de setembro de 2007, 19h50

Comentários de leitores

2 comentários

A notícia é velha. Não importa se foram 2% ou 2...

Mario Vitor Suarez Lojo (Professor)

A notícia é velha. Não importa se foram 2% ou 25% de aprovados, qualquer número abaixo de 50% é inaceitável. A prova da OAB cobra a matéria que deveria ter sido ensinada durante o curso universitário. Vale lembrar ainda que muitos desses poucos aprovados ainda foram fazer cursos preparatórios de 2 ou 3 meses na véspera da prova. Sem isso, o resultado seria muito pior. Imagina se fosse publicado um ranking dos cursinhos. As faculdades fechariam as portas. A notícia do MEC pode ter erros, mas não dá para esconder que o ensino universitário está muito ruim. Os professores são mal remunerados, os alunos ingressam nas faculdades sem estímulo para pesquisa e estudo. Durante o curso os alunos vão sendo aprovados nas disciplinas sem o conhecimento mínimo. O governo sempre soube que algumas instituições de ensino não deveriam estar abertas, mas a força do capital ... Enfim, é muito difícil para todos. Não existe um culpado. São todos culpados pelo resultado: governo - universidades – professores – alunos. E o pior, o curso de direito é o único que apresenta esse tipo de controle (quase transparente). Imaginem as demais carreiras, como, medicina, engenharia, ... Uma sentença de mérito, em tese, admite a possibilidade de rescisão, mas erros de engenharia (ex.: Palace II) ou da medicina não permitem uma segunda chance.

Temo pela qualidade de ensino da universidade o...

Marcelo Q. (Estudante de Direito)

Temo pela qualidade de ensino da universidade onde estudo (Estácio de Sá). Será que realmente ministram conteúdo adequado e suficiente para darmos seguimento na vida jurídica?

Comentários encerrados em 02/10/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.