Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Preocupação de mãe

Viúva da Mega-Sena pede liberdade para cuidar de filhos

Adriana Ferreira Almeida, suspeita pela morte do ex-marido, René Senna, milionário da Mega-Sena, entrou com mais um pedido de Habeas Corpus no Supremo Tribunal Federal. Com o recurso, Adriana tenta responder ao processo em liberdade. Ela alega que precisa cuidar dos filhos menores, um deles portador de hemofilia — doença genética que impede o corpo de controlar sangramentos.

Adriana Almeida está presa preventivamente na carceragem da Polinter, na região metropolitana do Rio de Janeiro, sob alegação de que estava atrapalhando o andamento das investigações e que pretendia fugir. O crime ocorreu no dia 7 de janeiro deste ano, em Rio Bonito (RJ).

No pedido feito ao STF, a defesa de Adriana pede a revisão da decisão da ministra Cármen Lúcia, tanto do Supremo, que mandou arquivar seu quarto pedido ao STF. Cármen Lúcia alegou que o pedido de liberdade não poderia ser aceito pois não havia fundamento jurídico. O relator do caso, desta vez, é o ministro Marco Aurélio.

O Superior Tribunal de Justiça também já havia negado o pedido de liberdade da viúva, assim como o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O processo contra Adriana está na 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Bonito (RJ).

Adriana é considerada a mandante do assassinato de René Senna. O crime teria sido motivado pela suspeita de que o marido pretendia terminar o relacionamento com Adriana e excluí-la do testamento. Ela responde, com mais cinco pessoas, ao crime de homicídio qualificado. Se condenada, poderá pegar até 30 anos de prisão.

HC 92.383

Revista Consultor Jurídico, 10 de setembro de 2007, 13h46

Comentários de leitores

3 comentários

Essa viúva tá querendo demais não acha? Porque...

Murassawa (Advogado Autônomo)

Essa viúva tá querendo demais não acha? Porque não pensou antes de praticar o crime. Ela demonstrou ser demasiadamente burra, pois, se era mulher de milionário era só manter os olhos fechado e beneficiar-se do dinheiro, porém, a cobiça foi tão grande que queria ficar c/ o dinheiro só p/ ela, bem feito, deve apodrecer na cadeia e não direito a qualquer centavo do dinheiro.

É, professor Armando, e aquele médico chamado J...

Manente (Advogado Autônomo)

É, professor Armando, e aquele médico chamado JORGE FARAH???????????????? Ainda dizem que existe o princípio da isonomia na Constituição Federal. Não sei aonde???????????????????????????? Além da desigualdade social, há também a desigualdade jurídica.

O Pimenta pode, ela não. Por quê? Por ser mulhe...

Armando do Prado (Professor)

O Pimenta pode, ela não. Por quê? Por ser mulher, de origem humilde e negra?

Comentários encerrados em 18/09/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.