Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Combate à corrupção

Lula defende mecanismos para agilizar Justiça no país

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quinta-feira (6/9) a criação de mecanismos para dar mais agilidade à Justiça. "O que nós precisamos é, isso sim, criar mecanismos de inteligência para melhor investigar e permitir, garantir que o Poder Judiciário seja mais rápido no julgamento". As informações são da Agência Brasil.

Lula disse, ainda, que se o país tivesse feito, ao longo dos últimos 50 anos, 20% do que o atual governo fez no combate à corrupção, o Brasil teria alcançado o que se chamou na Itália de Operação Mãos Limpas. Desenvolvida a partir de 1992, a operação revolucionou a política daquele país, combatendo a corrupção. "O que é importante ter claro é que não existe hipótese de haver uma denúncia e não haver investigação", disse Lula em entrevista coletiva a emissoras de rádio.

Sobre o caso do presidente do Senado, Renan Calheiros, Lula observou que, assim como qualquer outro cidadão, ele tem o direito de se defender. "É assim em todo e qualquer lugar do mundo e é bom que seja assim, que seja garantido o direito às pessoas, tanto o direito do acusador, quanto o direito daquele que vai se defender. O que nós queremos é que tenha agilidade nesse processo, que haja justiça para que efetivamente se separe o joio do trigo".

O presidente ressaltou que é importante garantir o direito à defesa. "Como cidadão brasileiro, quando eu não estava aqui na Presidência, mas estava lá no sindicato em São Bernardo, a gente fica torcendo que pegou, pegou, prendeu, prendeu, toma tudo que pegou de volta e está resolvido o problema. E não é assim, não é simples assim e é bom que não seja assim porque é importante que a democracia garanta às pessoas o direito de defesa", afirmou.

Revista Consultor Jurídico, 7 de setembro de 2007, 12h31

Comentários de leitores

4 comentários

E os plutocratas ainda criticam o presidente. O...

Armando do Prado (Professor)

E os plutocratas ainda criticam o presidente. O homem tem trabalhado bastante para salvar os alvos pescoços. Deveriam agradecer diariamente a ele.

O meu pai já dizia: "coisa de muitos donos, nen...

 (Advogado Autônomo - Civil)

O meu pai já dizia: "coisa de muitos donos, nenhum dono!" É verdade! É o que acontece com nossas empresas públicas. E, também, acontece com tudo que é público, principalmente no Brasil, onde cultiva-se o "deixa p'rá lá, isso aí é do governo". Quer dizer, as pessoas não pensam a coisa pública como sua. Isso acontece na administração de uma forma geral. Os chefes e administradores públicos pouco estão se importando, não é deles. Daí, a corrupção, a venda, o alheamento até dos ativos das grandes empresas públicas, onde há desperdício e malversação de seus bens. Ora, se cada funcionário, como já ouví, levar todo dia p'rá casa meia dúzia de clips, no final do mês muito se levou. Enquanto que a empresa que tem um dono esses detalhes são confiados a um chefe que responde por cada clips. Como dizia, ainda, meu pai, "o boi só engorda com o olho do dono!". O velho tinha toda a razão desse mundo. A corrupção é mesmo dura de controle, principalmente quando não se tem o sentimento de dono. Nós, brasileiros não somos muito disso. As coisas são públicas, pois sairam dos impostos de todos, mas pertencem a cada um nós. Cabe-nos vigiar cada vez que vemos alguém dilapidar o patrimônio do país. Por isso, há sim que ser julgados e condenados os corruptos e maus políticos que provocam e permitem o solapamento de nossos bens. Páu nelles!!!

A Emenda Constitucional determinou que TUDO arr...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

A Emenda Constitucional determinou que TUDO arrecadado de custas e emolumentos pelo Poder Judicário seja revertido PARA O PRÓPRIO PODER JUDICIÁRIO. Antes da EC não era assim. Sabem o que aconteceu? O Procurador Geral do Estado de SP entrou contra este artigo da EC. Deste jeito sabem qdo o Poder Judiciário, principalmente de SP irá mudar para melhor? NUNCA. Como é de conhecimento de muitos operadores do direito, para ser analisado um recurso em segunda instância em SP, demora em torno de 6 anos. É, 6 ANOS. Só em segunda instância. Sabem pq o Paulo Maluf se livrou de ser condenado em ação movida pelo Ministério Público ontra ele? Pq o Poder Judiciário não "anda", e ao completar 70 anos (o Paulo Maluf), teve a contagem do prazo prescricional reduzido pela metade. Pq não sai a VERDADE das notícias na Veja ou na Globo? Carlos Rodrigues berodriguess@yahoo.com.br

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/09/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.