Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Crime na Riviera

Promotor Schoedl receberá salário, mas não poderá atuar no MP

Embora tenha sido reconduzido ao cargo de promotor estadual, Thales Ferri Schoedl não poderá exercer sua função no Ministério Público do Estado de São Paulo. Ele receberá seu salário e terá o direito de andar armado, mas continuará suspenso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Na quinta-feira (12/1), o vice-presidente do Tribunal de Justiça paulista, desembargador Canguçu de Almeida, aceitou pedido do procurador-geral de Justiça, Rodrigo Pinho, e retificou parte da liminar que determinou a reintegraçao de Schoedl. O salário bruno no MP é de R$ 5.800.

Pinho argumentou que Schoedl estava suspenso antes da sessão que determinou a exoneração, em agosto. Pela Lei Orgânica do Ministério Público, ficaria impedido de exercer as funções até o julgamento final do caso na esfera administrativa. Como essa última decisão foi questionada, o promotor volta ao status anterior à expulsão.

Com a liminar, Schoedl reconquistou seu direito a foro especial e não irá para o tribunal do júri. Ele é acusado de matar Diego Modanez, de 20 anos, e balear Felipe Siqueira Cunha de Souza, de 21, na Riviera de São Lourenço, litoral de São Paulo, em dezembro de 2004.

Revista Consultor Jurídico, 14 de janeiro de 2006, 15h15

Comentários de leitores

3 comentários

Não li e não vi a decisão do TJ. Li o que o con...

Rossi Vieira (Advogado Autônomo - Criminal)

Não li e não vi a decisão do TJ. Li o que o conjur publicou. Se se fala em reintegração, entendo, esem sombra de dúvidas que Thales deveria voltar ao trabalho, nem que fosse para atender reclamações etc... enfim, o MP pode tudo. otavio augusto rossi vieira advogado criminal

Muito bem, Dr. Batchi, que sirva de lição seu p...

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Muito bem, Dr. Batchi, que sirva de lição seu proceder, pois tem muita gente falando por aí sem a menor base, fazendo o estado de direito ser interpretado erronea e negativamente por aqueles que não são das lides forenses. Na verdade, eles querem juízes covardes, mesquinhos a ponto de julgarem contra a lei só para não cair na boca do povo e da imprensa. O Desembargador Canguçu deve ser desagravado, ou melhor, já foi desagravado pelo verdadeiro batalhão de juristas que o conhecem, sabem de sua dignidade e independência. Perto dele carcará não pousa, vai comer carniça em outro canto, bem longe. Por fim, fiquei feliz com o comentário altamente democrático do Dr. Artur.

Essas mazelas jurídicas só desacreditam a Justi...

Roland Freisler (Advogado Autônomo)

Essas mazelas jurídicas só desacreditam a Justiça perante o público. Ora, o cidadão em tela vai receber um polpudo salário mensal de R$5.800,00 até não se sabe quando e ainda vai poder andar armado....é uma vergonha!

Comentários encerrados em 22/01/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.