Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Briga de torcidas

Corintianos são denunciados por morte de palmeirense

Por 

O Ministério Público de São Paulo denunciou 15 torcedores da Gaviões da Fiel, torcida do Corinthians, pela morte de um torcedor e agressão a outros oito, integrantes da Mancha Verde, torcida organizada do Palmeiras.

Os crimes ocorreram no dia 16 de outubro de 2005, no Metrô Tatuapé, zona leste da capital paulista. De acordo com a denúncia, as duas torcidas se encontraram na estação e os torcedores do Corinthians entraram em confronto com os torcedores do Palmeiras.

Diogo Lima Borges foi morto a tiros por Rodrigo de Azevedo Lopes Fonseca, de acordo com a denúncia do MP. Olival Manoel Tibúrcio Júnior também foi atingido por tiros de revólver, mas sobreviveu.

Wagner Paula de Moraes, Marcos Aurélio Pereira, Jonas de Oliveira dos Santos, Leandro Evaristo Rolim, Rogério Ribeiro de Andrade, Marcio Borges de Oliveira e Rodrigo Cavallaro foram agredidos com socos, pontapés, golpes de pau, ferro e pedras.

Os 15 acusados foram denunciados por motivo fútil e sem a possibilidade de defesa das vítimas.

Leia a íntegra da denúncia

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO PRESIDENTE DO EGRÉGIO I TRIBUNAL DO JÚRI DE SÃO PAULO - CAPITAL.

Inquérito Policial nº 052.05.004381-3

- DA CONDUTA DOS INDICIADOS EM RELAÇÃO Á VÍTIMA DIOGO LIMA BORGES:

Consta do incluso Inquérito Policial que no dia 16 de outubro de 2005, por volta das 16h26 min., no interior da estação de metrô Tatuapé, localizada na Rua Tuiuti esquina com a Rua Domingos Agostín, Tatuapé, nesta Cidade e Comarca de São Paulo, RODRIGO DE AZEVEDO LOPES FONSECA, qualificado as fls. 221, agindo com animus necandi, impelido por motivo fútil e utilizando recurso que impossibilitou a defesa da vítima, efetuou disparos de arma de fogo contra Diogo Lima Borges, provocando-lhe os ferimentos descritos no laudo necroscópico de fls.487/489 e que foram a causa efetiva de sua morte.

Consta ainda que nas mesmas circunstâncias de tempo e lugar acima descritas, CRISTIANO DE MORAES SOUZA, MICHAEL DE LIMA SANTOS, ANDRÉ OLIVEIRA BORGES, RENATO DA SILVA MARTINS, RODRIGO DA SILVA NASCIMENTO, CARLOS ALEXANDRE MOURÃO, CLEBER RODRIGO DE FREITAS, EDUARDO BARBOSA MOÇO, RENATO SOUZA SANTOS, MAYCON GIULIANO VITORINO DA SILVA, ANDERSON LOURENÇO VERÍSSIMO DA ROCHA, CARLOS EDUARDO DA SILVA E LUIS ALVES PEQUENO, qualificados respectivamente as fls. 270, 276, 1.101, 1.109, 1.117, 1.125, 1.134, 1.143, 1.152, 1.160, 1.184, 1.191 e 1.198, concorreram de qualquer forma para a prática delitiva, prestando decisivo auxílio para o indiciado RODRIGO DE AZEVEDO LOPES FONSECA, pois, previamente ajustados para o embate entre as torcidas, armaram-se e aderiram à sua conduta, fornecendo-lhe apoio moral para o cometimento do crime.

O crime foi praticado por motivo fútil. Os acusados, alguns associados à torcida organizada do time de futebol Corinthians, denominada “Gaviões da Fiel”, assim agiram pelo simples fato de a vítima Diogo pertencer à torcida rival, conhecida por “Mancha Verde”, o que demonstra a absoluta desproporcionalidade entre o móvel e a conduta dos agentes.

Os denunciados fizeram uso de recurso que impossibilitou a defesa do ofendido. A vítima Diogo foi atingida pelas costas, de forma surpreendente, quando tentava fugir do embate entre as torcidas, de modo que não teve qualquer possibilidade de defesa.

- DA CONDUTA DOS INDICIADOS EM RELAÇÃO A VITIMA OLIVAL MANOEL TIBÚRCIO JUNIOR:

Apurou-se também que, nas mesmas condições delineadas, terceira pessoa até o momento não identificada, mediante disparos de arma de fogo, agindo com animus necandi, por motivo fútil, efetuou disparos de arma de fogo contra Olival Manoel Tiburcio Junior, causando-lhe os ferimentos descritos no laudo de exame de corpo de delito de fls.1.216.

O homicídio só não se consumou por circunstâncias alheias à vontade do agente, visto que a vítima, mesmo ferida, buscou auxilio, sendo pronta e eficazmente socorrida.

O indiciado RODRIGO DE AZEVEDO LOPES FONSECA, concorreu moralmente para a prática do delito, na medida em que instigava e comandava por meio de gritos e gestos as agressões perpetradas contra os torcedores palmeirenses, exercendo verdadeira liderança junto aos torcedores corinthianos.

Noticiam ainda os autos, que os acusados CRISTIANO DE MORAES SOUZA, MICHAEL DE LIMA SANTOS, ANDRÉ OLIVEIRA BORGES, RENATO DA SILVA MARTINS, RODRIGO DA SILVA NASCIMENTO, CARLOS ALEXANDRE MOURÃO, CLEBER RODRIGO DE FREITAS, EDUARDO BARBOSA MOÇO, RENATO SOUZA SANTOS, MAYCON GIULIANO VITORINO DA SILVA, ANDERSON LOURENÇO VERÍSSIMO DA ROCHA, CARLOS EDUARDO DA SILVA E LUIS ALVES PEQUENO concorreram de qualquer forma para a prática delitiva, prestando decisivo auxílio para terceiro, pois, previamente ajustados para o embate entre as torcidas, armaram-se e aderiram à sua conduta, fornecendo-lhe apoio moral para o cometimento do crime.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 21 de agosto de 2006, 16h47

Comentários de leitores

1 comentário

É mesmo lamentável tudo isso...

Mcgee (Funcionário público)

É mesmo lamentável tudo isso...

Comentários encerrados em 29/08/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.