Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Vagas do quinto

OAB-SP elabora listas sêxtuplas para vagas no TJ paulista

Para preencher as três vagas reservadas aos advogados no Tribunal de Justiça de São Paulo, pelo Quinto Constitucional, a OAB paulista elaborou três listas sêxtuplas de candidatos. As listas serão encaminhadas ao governador do estado. A escolha dos candidatos foi feita, na terça-feira (15/8), durante audiência pública.

O presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’urso, lembrou que "o papel do advogado como integrante do Quinto Constitucional se reveste da mais alta importância para o engrandecimento da magistratura. Os advogados devem atender aos requisitos de notório saber jurídico e reputação ilibada, além de 10 anos de atividade profissional".

O artigo 94 da Constituição Federal prevê que a composição do Tribunal Federal de Recursos e dos Tribunais de Justiça dos Estados se efetiva com um quinto de suas vagas ocupadas obrigatoriamente por advogados indicados pela OAB e por membros do Ministério Público.

Veja os candidatos

Lista 1

Adem Bafti

Edmilson de Brito

Olavo Aparecido Arruda D’Câmara Landi

Manuel Pacheco Dias Marcelino

Marco Antonio Zito Alvarenga

Walter Piva Rodrigues

Lista 2

Gladys Maluf Chamma Amaral Salles

Hélcio Dantas Lobo Junior

José Carlos Ferreira Alves

Marcos Antonio Benasse

Martha Ochsenhofer

Plínio Rangel Pestana Filho

Lista 3

Ana Catarina Strauch

Juarez Rogério Felix

Luiz Antonio Silva Costa

Maria Helena Cervenka Bueno de Assis

Maura Roberti

Ricardo Nicolau

Revista Consultor Jurídico, 17 de agosto de 2006, 21h05

Comentários de leitores

4 comentários

Ordinário, no sentido pejorativo, é aquele que ...

Raul Haidar (Advogado Autônomo)

Ordinário, no sentido pejorativo, é aquele que se esconde em apelido para ofender. Ordinário, ainda nesse sentido, é quem ignora o texto constitucional (ver artigos 103 e 133). E com tal nível de "personagem", não vale a pena dialogar...

O QUÍNTUPLO É UMA VERGONHA!!!!! REVOLTANTE PARA...

FABI (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O QUÍNTUPLO É UMA VERGONHA!!!!! REVOLTANTE PARA OS QUE SE DEDICAM ANOS E ANOS NOS ESTUDOS PARA A TÃO SONHADA APROVAÇÃO EM UM CONCURSO PÚBLICO. DEVERIA SER ABOLIDO!!!!! É MUITO FÁCIL COMPOR OS QUADROS DA MAGISTRATURA E DO MP POR APADRINHAMENTO, NÃO? QUE ESTUDEM OS ADVOGADOS QUE QUEIRAM COMPOR OS REFERIDOS CARGOS !!!!! O ENGRAÇADO É NA GRADUAÇÃO ENCONTRAMOS FIGURAS (PROFESSORES ADVOGADOS) QUE SE "ORGULHAM" DA CARREIRA QUE EXERCEM...CÔMICO, NÃO? (MENTIRA, NÃO POSSUEM É CAPACIDADE PARA SEREM APROVADOS NESTES CONCURSOS) VVVVVEEEEEEEEEERRRGONHA!!!!!!!!!!!!!!! EXTINÇÃO DO 5º CONSTITUCIONAL JÁ!!!!!!!

O quinto deveria ter sido alterado como propôs ...

Raul Haidar (Advogado Autônomo)

O quinto deveria ter sido alterado como propôs a Deputada Zulaiê Cobra Ribeiro: acabar com listas sêxtuplas ou tríplices, cabendo a nomeação dos indicados diretamente pela OAB. Se as vagas são dos Advogados, não deveria a indicação sujeitar-se ao exame de outros (judiciário e executivo). As condições (reputação ilibada e reconhecido saber jurídico) podem ser impugnadas no decorrer do processo de escolha. Mas a escolha deveria ser por eleição direta de todos os Advogados. Enquanto isso não ocorre, pelo menos o "curriculum" dos pretendentes deveria ser amplamente divulgado pela OAB, através do seu "site". A transparência deve ser absoluta. Quanto a corrupção e tráfico de influência, isso jamais aconteceu com qualquer dos indicados pelo "quinto" aqui em S. Paulo. Os Advogados que a OABSP emprestou à magistratura através do "quinto" jamais nos decepcionaram! Fui durante muitos anos contrário ao "quinto". Mas estou revendo minha posição aos poucos, depois que conheci melhor o trabalho dos Advogados que se tornaram juizes através desse sistema. Esses colegas, sem exceção, honraram as suas indicações, dignificam a magistratura e enchem de orgulho a verdadeira Advocacia. São Advogados que estão juizes. Não entraram "pela porta dos fundos", mas por um preceito constitucional e pela vontade dos Advogados. As manifestações do "abaporu" são adequadas à imagem da obra que tem esse nome: imagem distorcida, fantasiosa, irreal...Talvez porque "abaporu" signifique "canibal" e esteja comendo carne estragada...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/08/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.