Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Excesso de velocidade

Multa de trânsito é anulada por falta de regulamentação

São inválidas as multas de trânsito expedidas por radares e outros aparelhos eletrônicos entre maio e outubro de 2002. Motivo: nesse período não havia regulamentação da matéria no Código Brasileiro de Trânsito.

O entendimento é da 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. A decisão anula apenas as multas expedidas nesse período para a arquiteta Ana Maria Keating da Costa Arsky, do Distrito Federal, mas abre precedente para que todos os multados no mesmo período contestem as multas.

A motorista acionou o Departamento de Estradas de Rodagem do DF para anular as multas de trânsito por excesso de velocidade. Administrativamente, o pedido foi negado. O caso foi parar na Justiça.

O ministro João Otávio Noronha, relator do recurso, afirmou que o Código Brasileiro de Trânsito condicionou a aplicação da norma à expedição de regulamentação pelo Contran — Conselho Nacional de Trânsito. Ou seja, para que as infrações de trânsito emitidas por radares ou aparelhos eletrônicos fossem válidas, era necessário que houvesse uma norma anterior.

Até maio de 2002, estava em vigor a Resolução 131/2002, que regulava a matéria em debate. Porém, a Deliberação 34, de 10 de maio de 2002, revogou a resolução. Apenas em outubro de 2002, foi editada uma nova resolução — a de número 40, para novamente regulamentar o artigo 280 do CTB. A regra regulamenta os procedimentos para autuação.

Assim, não são válidas as infrações expedidas por radares ou outros aparelhos eletrônicos nesse intervalo de tempo em que não havia regulamentação do CTB, segundo o STJ. Por isso, as multas devem ser anuladas. As demais autuações, porém, continuam válidas. A decisão da Turma foi unânime.

REsp 756.406

Revista Consultor Jurídico, 8 de agosto de 2006, 11h07

Comentários de leitores

3 comentários

"Radares que captam velocidade além da permitid...

aroldinho (Estudante de Direito - Criminal)

"Radares que captam velocidade além da permitida".Interessante.Radares que captassem a pouca vergonha e corrupção de agentes de trãnsito,orgãos de trânsito, seria indispensável.

Outra aberração aceita de forma passiva pela so...

Bira (Industrial)

Outra aberração aceita de forma passiva pela sociedade. Radares de 40 km/h escondidos entre arvores e sem sinalização de velocidade ou placas com valores diferentes metros a frente. Multa-se a pessoa por estar a 48 km/h em via de 3 pistas as 22 hs. E depois não há industria, imagina.

Caros colegas, a título de correção, a resolu...

Flávio Boniolo (Advogado Autônomo)

Caros colegas, a título de correção, a resolução que regulamentou o artigo 280 do CTB foi a de número 141 de 03 de outubro de 2002 e não 40 como informado.

Comentários encerrados em 16/08/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.