Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Aprovação do plenário

STF garante direito de minoria criar CPI em São Paulo

Dois artigos do Regimento Interno da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, que condicionavam a criação de uma CPI à aprovação do requerimento pelo Plenário, são inconstitucionais. O entendimento é da maioria do Plenário do Supremo Tribunal Federal que julgou procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pelo PT.

O artigo 34, parágrafo 1º, do regimento previa que o requerimento de constituição da CPI “só será submetido à discussão e votação decorridas 24 horas de sua apresentação”, e o artigo 170, inciso I, estabelecia que o pedido, “será escrito, dependerá de deliberação do Plenário”.

A medida facilita a instalação de comissões parlamentares de inquérito pela oposição. O PT, principal partido de oposição na política paulista, apresentou 69 pedidos de instalação de CPIs desde 2003, todos bloqueados pela base governista formada pelo PFL e PSDB. Entre as CPIs pretendidas estão as que investigam irregularidades no banco estadual Nossa Caixa, e as obras do Rodoanel e de despoluição do Rio Tietê.

O relator, ministro Eros Grau, julgou procedente a ação e decidiu suprimir os dois artigos. O ministro entendeu que os preceitos atacados pelo PT não guardam correlação com o texto constitucional.

O parágrafo 3º, do artigo 58, da Constituição Federal — que dispõe sobre a criação das CPIs — diz que o requisito para criá-las é tão-somente a assinatura de um terço dos membros da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal, para apurar fato certo e determinado.

“É certo que, em decorrência do pacto federativo, o modelo federal de criação e instauração das comissões parlamentares de inquérito constitui matéria a ser compulsoriamente observada pelas casas legislativas estaduais”, afirma o relator.

O ministro Eros Grau considerou, ainda, que a criação da CPI é determinada no ato da apresentação do requerimento ao presidente da Casa Legislativa, a quem, “considerando-o formalmente correto, cumpre ordenar que o requerimento seja numerado e publicado. Mas já neste momento dar-se-á por criada a CPI”.

“Daí porque se há de ter, na garantia da criação da Comissão Parlamentar de Inquérito mediante requerimento de criação de um terço dos membros da Assembléia Legislativa, a garantia da sua instalação independentemente de deliberação do plenário”, destaca o relator.

Nove ministros do STF acompanharam o voto de Eros Grau. Somente o ministro Marco Aurélio votou pela improcedência da ADI.

Direito da minoria

A decisão do STF confirma entendimento anterior em que se garante o poder da minoria parlamentar. Em maio de 2005 o STF enfrentou, pela primeira vez, a questão dos direitos da minoria no Congresso Nacional e declarou legitima a instauração da CPI dos Bingos. O relator, ministro Celso de Mello, sustentou o direito de oposição da minoria e que, mesmo em inferioridade numérica, prevalece o direito de investigar o Poder Executivo — ainda que contra a vontade do grupo dominante.

O relator descartou a alegação do então presidente do Senado, José Sarney, de que a discussão da instauração de CPI seja assunto interna corporis regulado pelo regimento da causa, demonstrando que a questão é eminentemente constitucional. Segundo o ministro não é lícito ao presidente do Senado deixar de aplicar o que prevê o artigo 58 da Constituição.

ADI 3.619

Revista Consultor Jurídico, 1 de agosto de 2006, 19h21

Comentários de leitores

3 comentários

O governo federal é a cabeça da cobra, o povo é...

ca-io (Outros)

O governo federal é a cabeça da cobra, o povo é corpo, quando a cabeça não sabe de nada como o corpo reage~tal qual Enquanto não tivermos um governo que sabe das coisas, elas acontecerão, não existe justiça que resolva, é tudo balela, conversa fiada de quem é doutrinado.

Meu pobre sentido, faz crer que FERNANDO HENRIQ...

ca-io (Outros)

Meu pobre sentido, faz crer que FERNANDO HENRIQUE não é candidato a presidente. Tudo que não presta por ele dissiminado no Brasil, foi consolidado pelo pT, lamentavelmente com meu voto. Barba é mascara, é para esconder. Com o saudoso Celso Daniel enterraram-se a verdade, eu vi a TV mostrar, as barbaridades possivedis, a que ele foi submetido, apresentado na CPI, ainda quer falar em CPI,

Cobertos por inconstitucionalidade, o pefelê e ...

Armando do Prado (Professor)

Cobertos por inconstitucionalidade, o pefelê e o tucanato passaram os últimos anos detonando todas as tentativas de constituição de CPI's. Agora, cabe à oposição em S.Paulo começar a investigar todas as maracutaias, como as citadas no texto, mais a da Segurança Pública, verdadeira tragédia para os paulistanos e paulistas. Sem esquecer, é claro da educação pública que está falida, por falta de atenção nos últimos 12 anos. Carecemos de investigação séria e dura, pois só assim, conseguiremos recuperar a Segurança e a Educação, ambas fundamentais para o bem-estar do povo que vive em S. Paulo.

Comentários encerrados em 09/08/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.