Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Corrupção em Ribeirão

Antônio Palocci é indiciado por outros quatro crimes

O ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, foi indiciado por mais quatro crimes que teriam sido cometidos enquanto ele era prefeito de Ribeirão Preto (SP). Ele deve responder agora pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, peculato e falsidade ideológica, que teriam sido cometidos nos contratos de varrição de Ribeirão Preto. As informações são da Agência Brasil.

Palocci já foi indiciado pela Polícia Federal por outros quatro crimes, que teriam sido cometidos enquanto ele era ministro: quebra de sigilo funcional, quebra de sigilo bancário, prevaricação e denunciação caluniosa.

Depoimento

De acordo com o Ministério Público, Palocci já chegou indiciado para prestar o depoimento nesta quinta-feira (27/4) em Brasília. "A carta precatória já veio com a determinação de indiciamento", explicou o promotor de Justiça do Ministério Público de São Paulo Daniel José de Angelis. O documento, segundo ele, permitiu à Polícia de Brasília ouvir Palocci, apesar de o inquérito ser presidido pela Polícia paulista.

"A gente nunca teve a preocupação de investigá-lo porque era ministro, então isso não cabia a nós. Agora, vamos apurar. Já há evidências de que ele tinha participação. Ainda não conseguimos saber se o dinheiro ia para o Partido dos Trabalhadores", disse o promotor, referindo-se à existência de supostos contratos ilegais à época que Palocci era prefeito de Ribeirão Preto.

O depoimento de Palocci, em Brasília, durou duas horas e meia. Ele foi ouvido pelo delegado chefe da delegacia de Capturas de Polícia Interestadual de CPI, Antonio Admar Brandão, e pelo delegado Amarildo Fernandes.

O advogado de Palocci, José Roberto Batocchio, negou o envolvimento direto do ex-ministro na assinatura dos contratos. "A concorrência foi feita na gestão anterior, portanto, por outro prefeito. Ele recebeu contrato já licitado e em execução, que teve continuidade. Não existe um contrato ou termo de continuidade assinado por ele", afirmou, em referência à empresa Leão Leão, prestadora de serviço de coleta de lixo no município de Ribeirão Preto.


Revista Consultor Jurídico, 27 de abril de 2006, 20h21

Comentários de leitores

3 comentários

Só o PaLLocci, e os outros? Eu quero saber quem...

JPLima (Outro)

Só o PaLLocci, e os outros? Eu quero saber quem será responsabilizado por sujar o nome, ou melhor a Marca, da Caixa Econômica Federal uma instituição que é do Povo brasileiro. Esse "Bando do PT" só faz bobagem, ou melhor CRIME.

Este tal de Palocci é mais um transvestido de c...

JCláudio (Funcionário público)

Este tal de Palocci é mais um transvestido de cordeiro, mas na realizada percente a máfia ceciliana, aquela que roubava, matava e extorquia para depois dizer que nada fez. Dá para acreditar. Só pode ser brincadeira. Que diga o caseiro. Se aquela casa pudesse falar!!!!

Mais uma pobre vitima do golpismo das elites, d...

Bira (Industrial)

Mais uma pobre vitima do golpismo das elites, de caseiros comprados pela oposição e de provas circunstanciais fracas. Dá para acreditar nessa história?.

Comentários encerrados em 05/05/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.