Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Quebra do sigilo

Bastos rechaça idéia de ter participado de quebra do sigilo

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, depõe neste momento na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. Os deputados questionam sobre a quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, que provocou a demissão de Antonio Palocci, então ministro da Fazenda.

Quando questionado sobre a sua participação na quebra de sigilo, Bastos declarou: “Não participei da quebra de sigilo, nem eu, nem meus assessores. Pedimos à Polícia Federal um inquérito rigoroso, rápido para apurar e esclarecer a quebra. Não há provas, evidências de que participei da quebra de sigilo. Eu estava em Rondônia e só no outro dia tive conhecimento do que aconteceu”.

O presidente da Comissão, deputado Sigmaringa Seixas (PT-DF), afirmou que a Comissão é o local mais apropriado para as explicações do ministro, pois o debate poderá ocorrer de forma mais objetiva, sem muitas interferências.

Relatório da PF

A Polícia Federal apresentou nesta quarta-feira (19/4) à Justiça relatório preliminar sobre as investigações da quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro. No documento, a PF aponta o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci como o mandante da operação. O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso e o jornalista Marcelo Netto, ex-assessor de Palocci, são citados como co-autores do crime. O ministro Márcio Thomaz Bastos não é citado no relatório.

Revista Consultor Jurídico, 20 de abril de 2006, 11h15

Comentários de leitores

2 comentários

Eu só quero saber qual a pessoa que acusada de ...

JPLima (Outro)

Eu só quero saber qual a pessoa que acusada de Corrupção, ou de participação em esquema de Corrupção vai assumir publicamente, tal fato? Ainda mais, participando de um Governo, ainda que do PT. Até agora o único que assumiu ser corrupto e ter praticado crime eleitoral foi o Roberto Jerfferson. Agora, é hipocrisia acreditamos que o "EXCELENTÍSSIMO" Senhor Ministro da Justiça, não teve participação no Caso da quebra de sigilo do "Caseiro" Fracenildo. A fragilidade do Sistema e a certeza da impunidade, por si só já revelam a participação, sem aprofundar-mos nos argumentos. Éticamente, Sua Excenlência, no mínimo deveria fazer companhia ao amigo Palocci.

Bom dia! Lamentamos profundamente a falta de...

Armindo (Advogado Sócio de Escritório)

Bom dia! Lamentamos profundamente a falta de respeito de alguns dos deputados por ocasião da audiência com o Ministro Thomáz Bastos. Outra realidade marcante é que alguns dos parlamentares por desconhecer a nossa lingua trataram o ministro por Vossa Senhoria. Isto é um absurdo. O tratamento ao ministro deve ser Vossa Excelência. O comento aqui exposto não busca a avaliação de desempenho político almejado por tantos. É um simples comentário Atenciosamente, Armindo Albuquerque

Comentários encerrados em 28/04/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.