Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Retrato da injustiça

Juiz de SP comenta filme O Caso dos Irmãos Naves

O filme O Caso dos Irmãos Naves será exibido na sexta-feira (22/7) no Clube Alto de Pinheiros, em São Paulo. A sessão será aberta ao público externo e terá comentários de José Tadeu Picolo Zanoni, juiz da 1ª Vara Cível Central.

O longa-metragem O Caso dos Irmãos Naves é a reconstituição de uma história real, ocorrida em 1937, na cidade de Araguari, Minas Gerais. A narrativa começa com a fuga de Benedito Pereira Caetano com dinheiro equivalente a uma safra de arroz. Na época, 90 contos de réis — que hoje valeriam R$ 270 mil.

Os irmãos Joaquim e Sebastião Naves, sócios e primos do fugitivo, denunciaram o caso à polícia. O tenente Anselmo Duarte transformou os acusadores em réus, mas não encontrou pistas sobre o paradeiro do desaparecido. O tenente de Belo Horizonte, Francisco Vieira dos Santos, foi enviado à cidade para resolver o caso. Apesar de não haver prova do crime, Vieira prendeu os irmãos Naves. Durante meses, eles foram submetidos a torturas medievais juntamente com seus parentes. A polícia queria que os irmãos confessassem a morte de Caetano e apontassem o esconderijo do dinheiro.

Sob forte tortura, os irmãos acabaram confessando o crime que não cometeram. Ambos foram condenados pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais e cumpriram oito anos de cadeia. Até que, em 1952, Caetano reapareceu vivo.

O Caso dos Irmãos Naves possui roteiro de Jean-Claude Bernardet, direção de Luís Sérgio Person e tem no elenco os atores Anselmo Duarte, Juca de Oliveira e Raul Cortez. Em 1972, o filme fez sucesso em Nova Iorque.

O filme será exibido às 20 horas, no Clube Alto de Pinheiros, localizado na Rua Guerra Junqueiro, número 115, em São Paulo. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3816-6586.

Revista Consultor Jurídico, 19 de julho de 2005, 11h01

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/07/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.