Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cadeira ocupada

José Nilton Pandelot é o novo presidente da Anamatra

Por 

O candidato da situação, o juiz mineiro José Nilton Pandelot, venceu nesta sexta-feira (29/4) as eleições para a presidência da Anamatra -- Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho. Do alto de 62,4% de votos, Pandelot afirmou em nota enviada à revista Consultor Jurídico: “O resultado das eleições revela a confiança que os associados depositam na Anamatra e na atual linha de atuação política, o que nos incentiva a dar prosseguimento ao trabalho empreendido pelas últimas diretorias”.

Pandelot obteve 1.516 votos contra 1.044 dados à chapa de oposição, encabeçada pelo juiz Paulo Souto Maior, de Campinas. “Estou certo que ao lado de tantos outros valorosos colegas, o mineiro Pandelot conduzirá a Anamatra para o melhor caminho”, afirmou o presidente Grijalbo Coutinho, que passará o cargo para seu sucessor no próximo dia 31 de maio, em Brasília.

Combater o trabalho escravo, a exploração do trabalho infantil e todas as formas de discriminação no trabalho são algumas das propostas de Pandelot. Seus outros objetivos são a regulamentação do inciso I, artigo 7º, da Constituição Federal; repelir a interferência indevida de instituições financeiras internacionais na definição de políticas judiciárias; combater fraudes no cooperativismo e as irregularidades nas instâncias alternativas de conciliação; apresentar novas proposições legislativas que tornem o processo mais célere, eficaz e democrático, com expressa rejeição às propostas que atentem contra a independência do Judiciário, como a súmula vinculante.

José Nilton Pandelot, 39 anos, atualmente juiz da 4ª Vara do Trabalho de Betim (MG), nasceu em Leopoldina e é casado há 16 anos com a professora Cecília Pandelot. Formou-se em Direito em 1988 pela Universidade Federal de Juiz de Fora (MG). Em 1990 foi aprovado no concurso do Ministério Público mineiro para promotor de Justiça. Três anos depois ingressou na Magistratura do Trabalho e em 1996 já era juiz-substituto.

Confira apuração das eleições no site da Anamatra

Leia a nota de Grijalbo Coutinho

Venceu a Democracia.

Venceu o melhor grupo, a melhor chapa. Venceram os colegas que fizeram da Anamatra uma das mais respeitadas entidades brasileiras da sociedade civil organizada, os que realizam qualquer sacrifício pessoal e profissional em nome da justiça social, da eliminação das desigualdades e de um judiciário ético, transparente e democrático.

Os meus agradecimentos aos associados que compareceram às urnas para construir uma Anamatra cada vez mais atuante e independente.

Ao Pandelot, meu amigo e colega de Diretoria, extraordinário ser humano e talentoso dirigente associativo, desejo êxito na gestão que terá início nos próximos dias na Anamatra. Estou certo que ao lado de tantos outros valorosos colegas, o mineiro Pandelot conduzirá a Anamatra para o melhor caminho, avançando ainda mais nas conquistas que foram alcançadas ao longo dos seus 28 anos de existência.

Parabenizo os eleitos e ressalto o alto nível da campanha, destacando o tom elegante e gentil do candidato Jorge Luís Souto Maior, jurista comprometido com os melhores valores da Democracia brasileira.

Saudações fraternas,

Grijalbo F. Coutinho

Leia a nota de José Nilton Pandelot

Em nome dos integrantes da chapa ANAMATRA FORTE, gostaria de cumprimentar os magistrados trabalhistas de todo o país, pelo exemplo de democracia e maturidade política demonstrado neste processo eleitoral.

O resultado das eleições revela a confiança que os associados depositam na ANAMATRA e na atual linha de atuação política, o que nos incentiva a dar prosseguimento ao trabalho empreendido pelas últimas diretorias.

Ao longo do processo eleitoral, o debate travado demonstrou o acerto na definição do programa da nossa chapa, que foi acolhido pela grande maioria dos juízes.

A valorização do magistrado segue como pressuposto para um Judiciário democrático, forte e independente. A nova diretoria tem este imenso desafio a enfrentar, sendo necessária a união de todos em torno dos verdadeiros e maiores interesses da sociedade.

Saudações,

José Nilton Pandelot

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 29 de abril de 2005, 21h41

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/05/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.