Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Crime no Rio

Advogado é assassinado com dois tiros no Rio de Janeiro

O advogado Acrisio Bicudo Fontes Neto foi assassinado, na madrugada deste sábado (25/9), com dois tiros na cabeça. Ele estava no bairro do Engenho Novo, zona norte do Rio de Janeiro. Fontes Neto é filho do desembargador federal José Ricardo Regueira e da juíza federal Lana Maria Fontes Regueira.

O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Jorge Maurique, divulgou nota para pedir “que o fato seja imediatamente esclarecido e os culpados punidos”.

Leia a nota da Ajufe

A Associação dos Juizes Federais do Brasil (Ajufe) lamenta o brutal assassinato do jovem advogado Acrisio Bicudo Fontes Neto, assassinado com dois tiros na cabeça no bairro do Engenho Novo, na zona norte do Rio de Janeiro, na madrugada deste sábado (25). O advogado é filho de dois associados da entidade, o desembargador federal José Ricardo Regueira e da juíza federal Lana Maria Fontes Regueira. A Ajufe espera que o fato seja imediatamente esclarecido e os culpados punidos.

Ao mesmo tempo, a entidade enfatiza que esse assassinato é mais um sinal do índice brutal de violência porque passa a sociedade brasileira, em especial a do Rio de Janeiro. Uma vez mais esperamos que as autoridades constituídas tenham sensibilidade para atacar de vez o problema do crime organizado. A área de segurança pública no Rio de Janeiro é de um verdadeiro caos. Medidas paliativas não vão resolver o problema. A situação não pode perdurar. A sociedade do Rio de Janeiro tem o direito de viver com tranqüilidade.

Jorge Maurique - presidente da Ajufe

Revista Consultor Jurídico, 25 de setembro de 2004, 18h43

Comentários de leitores

6 comentários

Dr. Rafhael Reis, olha como "seu Rio é MAAARRRA...

Fmdsouza (Advogado Autônomo - Empresarial)

Dr. Rafhael Reis, olha como "seu Rio é MAAARRRAAAVVVIIILLLHHHOOOSSOO... Deu na Infojur: Um dia após o advogado Acrísio Bicudo Fontes Neto, de 27 anos, ser metralhado dentro do seu carro, outro advogado foi assaltado hoje no Rio de Janeiro, desta vez em um bairro nobre da cidade, o Leblon. O advogado Mário Neder e a mulher dele, a chefe de cozinha Andréia Tinoco, passavam pela esquina da Rua Dias Ferreira com Rua Azevedo Marques, quando foram abordados por um assaltante armado. O bandido arrancou o relógio Rolex do advogado e saiu correndo pela Rua Azevedo Marques. Ao ouvir gritos do casal, um segurança do Consulado da Rússia atirou e o bandido revidou. Mesmo ferido, o bandido roubou um Golf prata, seguindo pelas avenidas Visconde de Albuquerque, Mário Ribeiro e Borges de Medeiros em direção ao Túnel Rebouças. Segundo testemunhas, houve pânico no local na hora do tiroteio. AH, meu Delta!!!! Me aguarda copa... Nunca! Nem de graça.

Lamento profundamente o brutal ...

Dias Jurídico (Advogado Autônomo - Criminal)

Lamento profundamente o brutal assassinato do jovem advodado, assim como o assassinato de qualquer pessoa, de qualquer idade e de qualquer formação. É lamentável e repugnante. A nota divuldada pela associação dos Juizes Federais é louvável e necessária. Gostaria apenas, que da mesma forma que que a nota clama para que "o fato seja imediatamente esclarecido e os culpados punidos", mesmo comportamento e celeridade ocorra na apuração dos fatos em que o pai do jovem em questão, encontra-se afastado do cargo pelo STJ - Superior Tribunal de Justiça, sob a acusação de integrar um esquema de venda de sentenças a empresas.

www.jose_bernardo@uol.com.br(Responsabilidade C...

José Bernardo Júnior ()

www.jose_bernardo@uol.com.br(Responsabilidade Civil- Advogado- Rio de Janeiro, RJ- 26/09/04 02:35 Já fui vítima desta prática criminosa e mesmo ferido escapei por obra divina. Entretanto, o que se vê deste lamemtável quadro é uma uma vida humana precocemente levada na disputa do arrebate de um automóvel. O que pude constatar aqui nesta urbe é que a notícia correu inicialmente por rádio e, o maior alarido destinou-se ao processo que o pai da vítima sofre (sem trânsito em julgado conhecido, mesmo se conhecendo que quanto maior é a liberdade de falar maior é a responsabilidade) asbraindo-se da cruel e covarde forma de se destriuir uma vida, carreira..., em sinal de total menoscabo ao luto e dor da família, dos amigos e de seus companheiros de profissão. Enfim, somos reféns deste caótico quadro de insegurança pública que está em pleno vigor sem que os contribuintes-cidadãos-eleitores possam fazer algo senão aguardar a bola da vez. Aos pais meus pêsames.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/10/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.