Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acesso garantido

TST cancela OJ que limitava abrangência do protocolo integrado

Os postos avançados dos Tribunais Regionais do Trabalho poderão receber recursos de revista para o Tribunal Superior do Trabalho. Os ministros cancelaram, nesta quinta-feira (2/9), a Orientação Jurisprudencial 320, que restringia a validade dos sistemas de protocolo integrado à área de jurisdição dos TRTs. A decisão foi tomada por nove votos a sete.

Por um lado, o sistema de protocolo integrado, criado por alguns TRTs, facilitou o dia-a-dia de partes do processo e de advogados. Mas também gerou problemas porque o serviço foi utilizado para apresentar recursos de revista ao TST. Nesses casos, os recursos não eram aceitos.

Para o presidente da Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat), Nilton Correia, a decisão da Corte Trabalhista não poderia ser diferente. “Nós já estamos discutindo a possibilidade de peticionar através da Internet e não fazia sentido o TST continuar negando aos advogados o direito de usar protocolo da própria Justiça apenas por estar situado em local fora do prédio do TRT”, afirmou.

O presidente do TST, ministro Vantuil Abdala, afirmou que era urgente solucionar essa questão “extremamente delicada”, que estava gerando dúvidas de grande repercussão na Justiça do Trabalho.

Além de solucionar uma questão jurídica, segundo o ministro Abdala, o cancelamento da OJ 320 tem também caráter político-social. Ele lembrou que o sistema de protocolo integrado foi utilizado de boa-fé pelas partes que se viram prejudicadas.

O cancelamento da OJ 320, que entrou em vigor em agosto do ano passado, era uma das maiores reivindicações dos advogados trabalhistas. “Os advogados foram incentivados a usar o protocolo integrado, usaram, e foram surpreendidos com a decisão do Tribunal Superior do Trabalho de que o sistema não podia ser usado para receber recursos de revista ao TST. Os advogados estavam perdendo seus recursos e não tinham nenhuma justificativa a dar às partes”, disse o presidente da Abrat.

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Roberto Busato, também comemorou a decisão tomada pelo Pleno do Tribunal Superior do Trabalho. "Permitir a utilização do protocolo integrado é o mesmo que permitir que a cidadania acesse efetivamente a Justiça, evitando a burocracia e o custo elevado de se protocolar petições somente nas sedes dos tribunais", afirmou Busato.

RR 615.930/99

Revista Consultor Jurídico, 2 de setembro de 2004, 18h21

Comentários de leitores

2 comentários

As relações jurídicas devem ser o retrato das r...

Antonio Ivan da Silva Junior ()

As relações jurídicas devem ser o retrato das relações sociais. O progresso nos diversos setores das relações humanas, não podem ser desprezadas pelo judiciário, principalmente, pelo judiciário Trabalhista que tem como "objetivo mater" a solução dos conflitos havidos entre o capital e o trabalho. Cabe ao Judiciário Trabalhista andar na vanguarda de seu tempo, agilizar suas decisões, e principalmente, desburocratizar a aplicação das sentenças, a incrementar a busca da população na solução de suas pendências. A possibilidade das partes poderem protocolar Recurso de Revista nos TRTs, agiliza e favorece a solução dos litígios aqueles impossibilitados de se locomoverem. Parabéns ao Judiciário Trabalhista por mais esse avanço. Antonio Ivan da Silva Junior - (trabalhista- Recife - PE)

Parabéns ao TST e ao Ministro Vantuil Abdala qu...

Luís Eduardo (Advogado Autônomo)

Parabéns ao TST e ao Ministro Vantuil Abdala que não deixou o assunto ficar "na gaveta" para ser resolvido daqui alguns anos. Constatou-se o que estava errado e mesmo contra 7 votos a favor da "burrocracia", o bom senso e a lógica prevaleceram.

Comentários encerrados em 10/09/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.