Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cachimbo da Paz

Greve pode fazer da PF um FBI brasileiro, diz Thomaz Bastos.

A greve de 70 dias dos policiais federais prestou-se à pavimentação de um acordo que pode levar a PF a ser "um FBI brasileiro". A frase foi disparada na tarde desta quinta-feira (27/5) pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, no gabinete de João Paulo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados.

Cunha fez a ponte para um cachimbo da paz entre Thomaz Bastos e Francisco Carlos Garisto, presidente da Fenapef, a Federação Nacional dos Policiais Federais.

Garisto revelou que, na quarta-feira próxima, ele e Thomaz Bastos vão se sentar numa rodada de negociações para tratar do aumento de salários vindicado pela Fenapef. O governo sustenta que os federais queriam um aumento de 85%, pelo cumprimento da Lei 9266/96.

A Fenapef devolve que tal ceitil é irreal -e que em verdade apenas 250 entre 7 mil federais teriam este aumento. Segundo Garisto,a média de aumento salarial, caso a lei fosse cumprida, seria de 25%.

"Foi uma reunião interessante, que reabriu as negociações. Foi um marco, mas nada de salários foi falado. O ministro disse que a greve serviu de marco para tornara PF mais eficiente, que está contente com a PF que tem, e que vai fazer dela um FBI brasileiro".

Revista Consultor Jurídico, 27 de maio de 2004, 19h26

Comentários de leitores

3 comentários

Corrijo: "ressalvada", no lugar de "ressalvado".

garisio (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

Corrijo: "ressalvada", no lugar de "ressalvado".

A PF é ainda não se firmou como deveria. Não ...

garisio (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

A PF é ainda não se firmou como deveria. Não tem estrutura e efetivo suficientes. Faz mais o trabalho burocrático e investigações que possam ecoar na imprensa, ressalvado uma ou outra elogiável de sua competência exclusiva. Em muitas operações, necessita das polícias locais, mormente as militares. Não tem sido capaz também de policiar nossas fronteiras, atividade que era de ser prioritária para essa polícia. Ao revés, tendo em vista interesses políticos, concorre muita vez em investigações internas afetas às polícias civis, algumas delas bem mais aparelhadas, como a de São Paulo.

Em sendo verdadeira a notícia, quem foi colocad...

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Em sendo verdadeira a notícia, quem foi colocado em capitis diminutio é o Dr. Paulo Lacerda, que a meu ver seria a autoridade credenciada para se colocar à frente das negociações.

Comentários encerrados em 04/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.