Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Domingo Legal

Promotora processa Gugu por danos morais e pede R$ 750 mil

A promotora de Justiça Deborah Pierri ajuizou Ação Civil Pública contra o apresentador Gugu Liberato, do SBT. Motivo: exibição de entrevista com supostos membros do PCC, no dia 7 de setembro do ano passado. A promotora quer que Gugu seja condenado a pagar, no mínimo, R$ 750 mil -- quantia que deve ser destinada ao Fundo de Reparação de Direitos Difusos. A ação foi distribuída para a 6ª Vara Cível de São Paulo.

A promotora considera que o apresentador usou prática comercial abusiva e, por isso, quer que a Justiça arbitre o valor da indenização sobre a quantia obtida com merchandising no programa Domingo Legal. "Ele é verdadeiramente o beneficiário direto de merchandising feito em seu programa", disse a promotora à revista Consultor Jurídico.

Deborah Pierri afirma que os consumidores foram expostos às imagens indevidamente veiculadas no programa dominical. A promotora quer que a Justiça determine que o SBT revele o valor de merchandising no dia do programa.

Leia o pedido da promotora:

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA CAPITAL.

“Para ser jornalista é preciso ter uma base cultural considerável e muita prática. Também é preciso muita ética. Há tantos maus jornalistas que quando não têm notícias, as inventam.” Gabriel García Márquez (1)

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO, por meio da Promotoria de Justiça do Consumidor da Capital, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelência para, com supedâneo no art. 129, III, da Constituição Federal; nos arts. 81, parágrafo único, I, 82, I, ambos do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90); e ainda no 1º e 5º, da Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985, propor AÇÃO CIVIL PÚBLICA, em defesa dos interesses difusos, a ser processada pelo rito ordinário, em face de, ANTONIO AUGUSTO MORAES LIBERATO, jornalista, solteiro, brasileiro, portador da cédula de identidade RG. nº 8.757.214, com endereço comercial à Avenida das Comunicações, nº 4, Osasco, pelos fatos e fundamentos de direito a seguir aduzidos.

I. Dos fatos

O inquérito civil em anexo foi instaurado em face dos responsáveis pela veiculação do programa de televisão “Domingo Legal” , exibido pelo Sistema Brasileiro de Televisão – SBT, aos 07 de setembro de 2003, aproximadamente às 15:40 hs. em rede nacional.

Naquela data foi exibida fictícia entrevista, na qual supostos membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), utilizando-se dos codinomes “Alfa” e “Beta”, um deles portando arma de fogo, passaram a proferir diversas ameaças de morte e seqüestro dirigidas a personalidades (apresentadores de programas de televisão, vice-prefeito da Capital e também à líder religioso).

As ameaças foram expressas nas seguintes frases: “a gente quer mostrar que quem manda é o PCC..”, “...existe alguma vantagem de você participar do PCC? – A vantagem é o seguinte, é o respeito que você tem onde você chega, você é bem recebido, entendeu...é como se você fosse um pai.”, “... a gente estamos aí de olho nisso aí. Vamos partir pro tudo ou nada, entendeu?”, “...porque o nosso negócio é esse, é se armar. Tá cada vez o armamento mais forte.”, e ainda “...o que vocês gostariam de falar para as autoridades que estão nos vendo nesse momento? - ...pra mostrar para eles o poder que a gente tem que eles deixou. A gente alcançamos onde tamos nesse poder. E é o seguinte, tem muitos troxa aí, que estão falando muito aí. Tipo esse Datena aí e tal. E não vai ficar assim não. Eles tem família, tem neto, tem filho, e é o seguinte, vai ser só bala mesmo na cabeça. A gente não tá de brincadeira não, certo? E é só isso que eu tenho pra falar... esse Datena, esse Godói, esse vice-prefeito aí o Bicudo, tá tudo mundo, todo mundo tá na lista.” (sic).

A impropriedade do programa nesse particular foi grandiosa, pois segundo informações obtidas no site do SBT, o potencial lesivo poderia alcançar 150.000.000 (cento e cinqüenta milhões) de brasileiros, difusamente considerados em 98% do território nacional, como demonstrado à fls. 51 do Inquérito Civil. (2)

A iníqua conduta causou grande clamor popular de repercussão nacional, fatos comprovados em inúmeras reportagens nos mais diversos meios de comunicação.

A repercussão negativa do referido programa sobre o patrimônio moral da sociedade brasileira foi revelada, exemplarmente, na representação do consumidor Nelson J. de Meirelles: “.. eu e minha família estávamos assistindo o Domingo Legal, quando entra no ar, aqueles que se dizia do PCC, que estava sendo entrevista, por repórter do SBT, sobe a respeito do seqüestro do Padre Marcelo, onde ele dizia, que só queria mostrar ao governo quem é que mandava aqui era eles, e exibia aquele revólver para o ar dizendo que ia matar o José Luiz Datena, que ia pegar o Hélio Bicudo, vice prefeito, e mais uns da lista, senadores e outros mais, que ele não queria dizer quem era, por isso ao ver aquela cena de terror, eu cheguei até ficar nervoso por causa daquelas cenas de ameaça que eles fazia...”, fls. 357 (grifei)

Revista Consultor Jurídico, 17 de junho de 2004, 15h32

Comentários de leitores

27 comentários

Olá pessoal. Está interessante este espaço aqui...

Saburo (Professor Universitário - Internet e Tecnologia)

Olá pessoal. Está interessante este espaço aqui onde se debate a linguagem culta, o direito, a razão e a emoção! Bom é escrever certo no lugar certo e na hora certa. Pelo menos a atenção não é desviada para o erro gramatical ou digital, principalmente, quando o leitor principal é o Juiz que vai sentenciar de acordo com o que consta nos autos. Certamente, um erro crasso vai desviar sua atenção. Seguidos erros poderão transformar sua lógica racional para a emocional influindo na sua decisão final. Como se vê aqui, emoção tomou conta e desviou o foco principal.

Sr. Eliel, Aprecio muitíssimo o direito de e...

Thomaz ()

Sr. Eliel, Aprecio muitíssimo o direito de expressar idéias e conceitos, mas trata-se de um roto falando sobre remendados. (ESSA FRASE HEIM! :) - RÁ RÁ RÁ) O senhor aumento a porcentagem de 70% para 73% ! Envie, por favor, outra mensagem no contando sua opinião sobre o tópico.

Eliel da Fonseca Vieira escreveu (sic): "O m...

Bruno P. Barbosa (Procurador do Município)

Eliel da Fonseca Vieira escreveu (sic): "O mais engraçado é que cerca de 70% dos comentários atribuídos a esta matéria, (!) não têm nenhuma relação com o assunto discutido. Preocupamos(!)-nos demais com os rótulos e esquecemos(!)-nos do verdadeiro teor das coisas. Escrevendo certo ou errado, somos todos cidadões (!!!) brasileiros e merecemos, além do respeito, ter o direito de expressarmos nossas idéias e conceitos. O que é o "escrever certo"???, o que é o "falar bonito"??? Fernando Collor de Melo também falava bonito e fez o que fez... De colarinhos e gravatas o Brasil está cheio. Saudações." Conforme eu li outro dia em um adesivo de carro, "Nóis capota mais num breca...".

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.