Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Lista de aprovados

Mais de 45% são reprovados em Exame de Ordem da Bahia

A Ordem dos Advogados do Brasil da Bahia divulgou a lista de aprovados no primeiro Exame de Ordem de 2004. Dos 975 inscritos, 441 candidatos foram reprovados. A aprovação foi de 50,36%, com 43 abstenções. O resultado pode ser alterado depois do julgamento dos recursos.

Os números preocuparam o presidente da OAB-BA, Dinailton Nascimento de Oliveira. “Me sinto entristecido, pois esse percentual mostra que existe deficiência no ensino jurídico. Os dados mostram que pelo menos metade dos bacharéis não está pronta para praticar a advocacia”, disse.

Medidas estratégicas

Para tentar reverter o quadro, a Comissão de Ensino Jurídico da OAB-BA iniciou um trabalho envolvendo a comunidade acadêmica dos cursos de Direito. O grupo quer identificar os problemas que comprometem a qualidade do ensino e buscar soluções.

O primeiro passo da comissão foi a elaboração do curso Gestão do Projeto Pedagógico dos Cursos de Direito, a ser realizado em julho, com a professora Nádia Fialho.

O curso Gestão do Projeto Pedagógico irá examinar o que se entende por projeto pedagógico de cursos de graduação – focando, especialmente, a formação em Direito. A avaliação será feita a partir da perspectiva da coordenação acadêmica-administrativa e das relações que o projeto pedagógico estabelece com a formação do estudante e com a atuação do professor em sala de aula. Serão levados em conta o contexto sócio-cultural da atualidade e seus desafios.

De acordo com Oliveira, a OAB-BA vai ajudar os cursos de Direito de todas as formas possíveis, para que os futuros profissionais da área entrem no mercado de trabalho capazes de atuar com competência: “Só estarei satisfeito quando o índice de aprovação no exame de Ordem chegar próximo de 95%”.

Para consultar a relação completa dos aprovados no Exame de Ordem, os candidatos podem se dirigir à sede da OAB, na Praça Teixeira de Freitas, Piedade, ou acessar o site www.oab-ba.org.br

Revista Consultor Jurídico, 17 de junho de 2004, 21h03

Comentários de leitores

2 comentários

Bem colocada a questão, pois a deficiencia do e...

Alvaro Benedito de Oliveira (Advogado Autônomo)

Bem colocada a questão, pois a deficiencia do ensino pode repercutir durante toda a vida profissional do operador de direito, em especial quando de sua atuação fora dos limites de seu território, visto serem as leis de caracteristicas Federais, mas a Justiça ser de égide Estadual. Assim sendo quando o advogado o sai de seu Estado sem estar perfeitamente preparado para atuar encontra sérias dificuladades, colocando em resc seus clientes, como posso citar especificamente atuação junto a TRIBUNAL DO JURI, onde o advogado se depara com atuação de JURADOS que são pessoas do POVO DA TERRA local e não de onde milita o operador e o é formado.

Acho a medida do Presidente da OAB-Bahia das ma...

Aldovandro Carneiro Carvalho ()

Acho a medida do Presidente da OAB-Bahia das mais salutares. Tenho uma filha no 4º ano de Direito e, com frequencia, ouço-a reclamar da falta de didática de alguns professores, inclusive daqueles cujas aulas resumem-se à leitura do código, sem qualquer comentário. Como ex-aluno e ex-professor, posso aquilatar quanto de malefício e desmotivação isto acarreta no jovem que intenta preparar-se para o exercício de uma profissão. O resultado do Exame da Ordem acima corrobora o que digo. Sugiro também a criação de um departamento na OAB-Ba em que o estudante possa denunciar a ineficiência dos professores, haja vista que as denuncias que fazem à Cordenação do Curso são tratadas com descaso. A OAB entretanto poderia intervir junto ao reitor, pretensão inaccessível ao estudante, exigindo soluções. Acredito que tal medida propiciaria excelentes resultados.

Comentários encerrados em 25/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.