Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Alhos e bugalhos

Homem preso com comerciante Law Kin Chong não é advogado

Pedro Lindolfo Sarlo, preso pela Polícia Federal no último dia 1° de junho, ao tentar subornar o deputado federal Luiz Antonio Medeiros, não é advogado. A informação é do presidente da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, Luiz Flávio Borges D´Urso.

Desde sua prisão, Sarlo vem sendo apontado como advogado do empresário Law Kin Chong, um dos principais alvos da CPI da Pirataria. Ele teria tentado subornar o deputado Medeiros para favorecer o chinês no curso das investigações.

Segundo D’Urso, "é fundamental que a sociedade seja esclarecida sobre o engano, até porque estatutariamente a OAB é responsável por fiscalizar o advogado no exercício profissional, regulando seus deveres e coibindo as violações nas esferas ética e disciplinar".

Revista Consultor Jurídico, 8 de junho de 2004, 15h22

Comentários de leitores

7 comentários

prezada clea coppola, é com prazer que escla...

Thomaz ()

prezada clea coppola, é com prazer que esclareço sua dúvida: os únicos advogado punidos são aqueles que não pagam a anuidade, que aqui em minas gira em torno de 400 reais de resto, só mesmo aqueles que aprontam uma lambança tão grande, mas tão grande, que não dá p/ acobertar

PEDRO LINDOLFO SARLO, o falso advogado que inte...

Fabio ()

PEDRO LINDOLFO SARLO, o falso advogado que intermediou proposta de suborno ao ilustre Deputado Medeiros, realmente não é advogado. Possui um diploma de uma faculdade de direito de Niteroi, não reconhecido, razão pela qual, além de não ter capacidade, nunca conseguiu se inscrever na OAB. Para quem não se lembra, este Pedro Lindolfo Sarlo é aquele mesmo que foi manchete da coluna da Hildegar Angels, na qual o então Ministro da Justiça, Aloisio Nunes, deu carta branca ao Itanarati para negar qualquer pleito no sentido de nomeá-lo Consul de el Salvador em São Paulo. Apesar disso, usava do cargo como se fosse nomeado, sem que nenhuma autoridade constituída tomasse qualquer providência. Distribuiu e vendeu placas consulares de bronze para Deus e todo mundo, inclusive para a esposa do juiz Joâo Carlos da Rocha Mattos, sem ter poderes para tal. Responde por falsidade ideológica em razão de se intitular consul, mas, pelo jeito não vai dar em nada, pois o principal órgão que nomeia e autoriza a concessão de placas, o Itamarati, não foi consultado. Optou por solicitar informções da Embaixada de El Salvador em Brasilia, cujo embaixador, á época era amigo pessoal do dito cujo. Teria o Ministério Publico que solicitar informações ao Itamarati. Ai sím teria a resposta tão esperada de que o pseudo consul não era e nunca seria consul nem aqui, nem na conchichina. Se não bastasse, foi taxado pela revista Veja como o paladino da falsificação de vistos para chineses no Brasil, o que resultou num inquérito de 28 volumes, que teve como destino a prescrição. Por ai dá para ver a força que o mesmo exerce sobre as autoridades. Dizem os entendidos, que a coisa mais fácil para detectar suas falsificações seria chamar os chineses e conferir os diplomas de cada um e sesu curriculum. O esto seria melzinho na chupeta. pena que nossas autoridades não sabem ou não querem trabalhar e descobrir o óbvio. Aliás, foi responsável pela demissão injusta de diversos funcionários do Ministério doTrabalho, simplesmente porque não se curvaram às suas vontades. alías esse fato foi motivo de representação do então Deputado Wagner Jacques junto à Procuradoria geral da República, que também deu em nada, pois os amigos do mesmo de fato são fortes. Vamos ver se desta vez alguém toma as providências necessárias para tirar de vez o falsificador de circulação.

Bons tempos aquele que a oab servia para nortea...

Adilson Pereira ()

Bons tempos aquele que a oab servia para nortear o caminho da democracia pois hoje em dia o que restou aos mandatarios da oab e tentar aparecer sempre que lhe permitem os meios de comunicaçao mesmo em casos somo esse onde de nada muda se o infeliz preso com o chines e ou nao advogado que tal a oab se preocupar em tornar mais digna a condiçao da advocacia ou mesmo fiscalizar cursos que despejam no mercado milhares de analfabetos juridicos que so servem para amesquinhar ainda mais a situaçao dos profissionais que pagam suas anuidades regiamente pois senao o fizerem estes sim serao punidos .

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.