Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prato cheio

Ministra Eliana Calmon lança livro de culinária no STJ

Nem só de julgamentos de processos de Direito Público vive a ministra Eliana Calmon, da 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. Baiana de Salvador, ela costuma causar surpresa sempre que lança uma nova edição das receitas culinárias que vem cultivando desde a infância, por influência e incentivo da mãe.

Resp – Receitas Especiais, já na quarta edição, revista e acrescida de novos pratos e dicas, revela uma profissional de forno e fogão tão experiente e segura quanto a que julga os inúmeros recursos especiais na sua rotina de trabalho. Daí o trocadilho que dá nome à publicação. O livro está sendo lançado no STJ até quarta-feira (9/6), em evento interno.

A simplicidade da edição, que leva o selo da Thesaurus Editora (DF), é o primeiro sinal da intenção da autora quanto ao propósito do livro. "Direto, é como sou, e feito para a mulher pós-moderna, ocupada com tantos afazeres profissionais e domésticos, pois, embora eu saiba todas as receitas da culinária baiana, ponho no livro as mais simples, que incluem ingredientes que se tem em casa", conta a ministra.

Esse diferencial faz de Resp – Receitas Especiais um livro convidativo, de fato, para se ter à cabeceira do fogão e pôr à prova os ensinamentos da ministra Eliana. Entre as receitas que ensina, ela chama atenção para as "saladas maravilhosas, aprendidas com as amigas queridas e parentas", como a Café de Paris, a Tropical, a Alice e a de Repolho com Maçã, que integram o capítulo Receitas Light Salgadas, acrescido nesta quarta edição. Os demais capítulos são dedicados às Receitas Salgadas; Receitas Doces; Receitas Light Doces e Dicas Importantes.

Em Dicas Importantes, leitoras e leitores encontram desde o cálculo de quantidades de alimentos por pessoa e buffet, aos "doces segredos" da arte de receber, passando pelas confidências de como fazer um bolo gostoso, ou não deixar queimar os biscoitos caseiros e, até mesmo, o tratamento dado a alimentos cozidos no microondas.

Uma lista do material mínimo necessário para cozinha, incluindo especiarias e indicações de como bem usá-las, completa os toques do livro, que, segundo a ministra, vai mais longe por dar margem à reflexão sobre o papel da mulher na sociedade, atualmente.

"De modo geral, a mulher de hoje recusa a culinária por ser um símbolo secular da subserviência feminina. Mas as feministas, as intelectuais não se apercebem do quanto é prazeroso cultivar algo do nosso universo que continua a despertar a atenção e o interesse, tanto de homens quanto das próprias mulheres. Eu, que sou uma profissional bem-sucedida, não abro mão dos valores femininos: adoro cozinhar, decorar, enfeitar, embelezar", diz a ministra.

Eliana Calmon mostra com sua arte culinária publicada que a mulher pode e deve desempenhar bem todos os seus papéis. Inclusive a filantropia. Desde a primeira edição, ela cede seus direitos autorais a entidades beneficentes e, agora, à Creche Vovó Zoraide, em Uberaba (MG), e à Sociedade Espírita Irmã Rosália, de assistência a famílias carentes moradoras em Águas Claras (DF).

Resp – Receitas Especiais – Preço de capa: R$ 10,00, postagem R$ 4,55. Interessados em adquirir um exemplar devem depositar a quantia em nome da Sociedade Espírita Irmã Rosália, no Banco do Brasil, Agência 3592-0, Conta: 8100-0. Enviar fax para (61) 319 6360, comprovando o depósito e solicitando dedicatória em nome de quem desejar.

Revista Consultor Jurídico, 8 de junho de 2004, 12h13

Comentários de leitores

4 comentários

Não concordo de se falar de cozinha a todo o in...

Gabrielle de Oliveira Perdigão ()

Não concordo de se falar de cozinha a todo o instante, temos que saber diferenciar o local onde estamos e falarmos no nível e sobre o que aquele determinado grupo de pessoas intende. Use falar menos sobre cozinha e mais sobre o ministerio dá muito mais certo e dá muito menos polêmica coisa que o Brasil já tá cheio e até demais.

Respeito a ministra, mas o STJ não é restaurant...

Luciano Lira de Macedo ()

Respeito a ministra, mas o STJ não é restaurante, nem faz parte de nenhuma quermesse. Se o livro for (ou tenha sido ou venha a ser) lançado em fim de semana, fora do horário de trabalho, vá lá. Mas será que este livro respeitou o horário de trabalho dos ministros? Meus respeitos. Luciano Lira de Macedo Fortaleza (CE)

Como cidadão não tenho nada contra ao talento c...

Renato (Comerciante)

Como cidadão não tenho nada contra ao talento culinario da ilustre Ministra do STJ , porém creio que seus escritos culinários sejam mais uma forma de passatempo e lazer do que a devida profissão , logo seria mais adequado que tal lançamento fosse realizado na sede da editora ou em algum restaurante fino da capital Federal.Por que se a moda pegar logo , teremos exposição de cães , gatos , boi nelore porque creio que muitos ministros são fazendeiros , empresarios, ...e sinceramente flando temos muitas coisa urgentes esperando decisões do STJ a perderem tempo com exposições que nada acrescentam ao POVO que é quem é menos lembrado neste país ( sim neste país). Meus parabens a ilustre ministra pelo seu livro , se eu tiver oportunidade irei adquiri-lo para aprecia-lo. cordialmente

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.