Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Racismo debatido

STF firmou jurisprudência em defesa de minorias, diz Terpins.

O Supremo Tribunal Federal encerrou, na semana passada, o julgamento do editor nazista Siegfried Ellwanger -- condenado por crime de racismo. Mas o assunto ainda está sendo discutido por judeus.

Jack Leon Terpins, presidente da Confederação Israelita do Brasil -- Conib, e do Congresso Judaico Latino Americano, as mais altas instâncias das comunidades judaicas do Brasil e da América Latina, divulgou nota para comentar o julgamento do Supremo. Para ele, a Corte firmou jurisprudência "em defesa de todas as minorias contra ameaças racistas e xenófobas de quem quer que seja".

Leia a nota

"O Supremo Tribunal Federal pela voz e pelo voto de seus onze ministros deu, mais uma vez, uma prova da importância fundamental para o conjunto das instituições democráticas, de que faz parte a proteção das minorias.

Apesar do conflito no Iraque, uma parcela importante da opinião pública internacional estava atenta ao nosso Supremo. Os olhos do mundo estavam fixos na decisão da mais alta Corte da Justiça Brasileira e que se dá poucos dias antes das comemorações da primeira insurreição, no Gueto de Varsóvia, contra os opressores nazistas, os mesmos que o citado editor gaúcho gosta de exaltar.

Ao não conceder habeas corpus ao editor gaúcho que fez do ódio aos judeus seu tema preferido e da negação do Holocausto assunto para debates, a mais alta instância de nossa Justiça vai muito além do que considerar o anti semitismo um crime. Ela firma jurisprudência em defesa de todas as minorias contra ameaças racistas e xenófobas de quem quer que seja.

Fica claro, portanto, que o ódio ao outro, ao diferente, ao estranho são manifestações de intolerância, de descriminação, de perseguição. De racismo, enfim. O que consciência humana repudia, a Justiça por meio de nosso Supremo Tribunal Federal, se encarregou de ratificar". (Organização Sionista do RGS)

Revista Consultor Jurídico, 25 de setembro de 2003, 12h41

Comentários de leitores

1 comentário

Oxalá o STF pensasse nas "minorias" brasileiras...

Maria Lima Maciel ()

Oxalá o STF pensasse nas "minorias" brasileiras, e, guardião da CR, não consagrasse o anatocismo!!!

Comentários encerrados em 03/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.